Você está aqui: Página Inicial > Entrevistas > Rolf Hartmann

31/1/2020

Entrevista com o economista

Rolf Hartmann


Como surgiu a Cruz Azul?
No mundo a Cruz Azul nasceu em 21 de setembro de 1877, na Suíça, pela iniciativa de Louis-Lucien Rochat, como movimento cristão de abstinência e de ajuda mútua na área do álcool. Rapidamente os grupos e os trabalhos expandiram-se pela Europa e posteriormente a África, América do Sul e Ásia. No Brasil a Cruz Azul nasceu a partir da iniciativa de Kurt Reinke, em Panambi, RS, em 1982, com a criação de grupo de apoio e em 1983, de uma comunidade terapêutica, culminando na fundação da Cruz Azul no Brasil em 23 de junho de 1995, com sede nacional em Blumenau, SC, fruto da associação de comunidades terapêuticas e pessoas físicas, como federação, para representa-las, capacitar colaboradores, fazer prevenção, criar e manter uma rede de grupos de apoio e mútua ajuda, editar literatura na área do álcool e outras drogas, entre outros.

Qual o objetivo da Cruz Azul?
A Cruz Azul atua na área do uso e dependência do álcool e outras drogas, ajudar pessoas dependentes do álcool e outras drogas, e pessoas a elas ligadas: a) na prevenção ao uso, abuso e/ou dependência de substâncias psicoativas; b) como federação de comunidades terapêuticas; c) como rede de grupos de apoio e mútua ajuda, de prevenção e outros serviços; d) na formação de multiplicadores, na capacitação e formação educacional e profissional de profissionais ou leigos; e) na defesa e garantia de direitos de crianças, adolescentes, adultos e idosos, inclusive comunidades terapêuticas, grupos de apoio e mútua ajuda, e entidades sem fins lucrativos, visando políticas públicas que fomentem e possibilitem uma vida saudável e sem uso/abuso de substâncias psicoativas; f) no atendimento psicossocial; g) na edição de literatura; h) em pesquisas, estudos e avaliação na área do álcool e outras drogas.

Onde a Cruz Azul atua?
No mundo: em mais de 40 países da Europa, África, América do Sul e Ásia.

No Brasil:

Sede NACIONAL: Rua São Paulo, 3424, Itoupava Seca, Blumenau, SC

Comunidades terapêuticas associadas: SC, PR, RS, CE, PI, MG

Grupos de apoio e mútua ajuda, incluindo os de adultos, crianças e adolescentes: SC, PR, RS, SP, CE, PB, PE.

Estados em que já foram realizados cursos, seminários, capacitações (sob demanda): SC, PR, RS, SP, MG, PE, CE, BA, RO, PB, PI, AM, SE.

Quais as ações principais praticadas pela Cruz Azul?
A Cruz Azul caracteriza-se como um centro de recursos ou de referência, abrangendo ampla gama de serviços na área do uso ou dependência do álcool e outras drogas. Como federação de comunidades terapêuticas destacamos a atuação na criação de leis, normas, regulamentações, em seu reconhecimento e financiamento, assim como dos grupos de apoio e mútua ajuda. Mantém uma rede de grupos de apoio e mútua ajuda, inclusive para crianças e adolescentes, atua fortemente na prevenção e na formação de multiplicadores em todas as áreas, na capacitação de profissionais, leigos, a partir da visão holística do ser humano. Oferta atendimento psicossocial, provendo também assessoramento e apoio a pessoas, entidades, públicas ou privadas, sem fins lucrativos, atuantes na área. Tem editora especializada. Também atua fortemente através das mídias sociais e meios de comunicação.

Qual o trabalho da Cruz Azul referente à dependência química?
A partir da visão holística do ser humano e da busca da excelência de seus serviços na área de atenção e cuidados da área do uso e dependência do álcool e outras drogas a Cruz Azul, baseado em evidências, visa a ser um centro de recursos, ser referência na prevenção, na oferta de acolhimento e tratamento a usuários e dependentes, seus familiares e pessoas afetadas, no acompanhamento e apoio, através de ampla rede de grupos de apoio e mútua ajuda, no atendimento psicossocial a usuários ou pessoas ligadas, no assessoramento de entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos, seja em aspectos técnicos ou legais, a construção de políticas públicas de prevenção, de fomento aos serviços das comunidades terapêuticas, grupos de apoio e mútua ajuda, de prevenção, de estudos, pesquisas e avaliações, de literatura especializada e também aquela voltada ao público alvo.

O que distingue os grupos de apoio e mútua ajuda da Cruz Azul?
Os grupos de apoio e mútua ajuda da Cruz Azul distinguem-se pela ênfase no processo de escuta entre as partes (dependentes e familiares), a qual almeja um processo de recuperação da família como um todo, sem compartimentar os lados. O formato da reunião privilegia a vivência familiar. Há forte ênfase na prática da mútua ajuda nas reuniões. Esta define a forma como todo o processo de ajuda se dará entre os participantes, compreendendo todos com o mesmo nível de importância e com o mesmo potencial de ajudar e de ser ajudado, além de estimular fortemente a prática do compartilhar e da troca de experiência entre os pares, tornando-se “o remédio”, o "cerne terapêutico", transformando o quadro da doença, promovendo cura. O ser superior, Jesus Cristo, que tem poder salvífico e transformador, traz mensagens de esperança, conforto emocional, proteção e de princípios de vida eficazes.

Como a espiritualidade é inserida nas ações da Cruz Azul?
A Cruz Azul nasceu da necessidade de ir “além do que a igreja normalmente faz”, de alcançar e ajudar dependentes do álcool e outras drogas, de lhes prover, com excelência, mediante o uso das melhores técnicas, conhecimento e evidências científicas, prevenção, acolhimento, dignidade, tratamento e acompanhamento. Cremos no poder salvífico e transformador de Jesus Cristo e na capacidade de mudança do ser humano, com a visão holística do ser humano preconizada pela Organização Mundial da Saúde, sendo a espiritualidade um forte fator de proteção, de transformação e de prevenção da recaída, como já comprovado por inúmeros estudos científicos. Somos um movimento de inclusão e mútua ajuda, e seus serviços destinam-se a todos, independentemente de sua crença. O amor incondicional é nossa mola propulsora, a promoção da vida nossa meta.

O que o motiva a trabalhar com este tema?
Se fosse para resumir em uma palavra, o que motiva é o amor. Sou amado por Deus, em Cristo, e fui criado para uma vida de felicidade, e isso vale para todos. Muitos não se sentem amados, sentem-se desvalorizados, carentes, e por isso, muitos entram no álcool e outras drogas. “Falar de amor” não é suficiente. São necessários atos concretos. Não podemos ficar alheios ao sofrimento de milhões afetados pelo álcool e outras drogas. Como prevenir para que outros, inclusive os que nos são mais chegados, possam ter habilidades sociais e de vida para lidar com os desafios da vida, terem os fatores de proteção fortalecidos e serem alertados dos fatores de risco? Quem já foi afetado, precisa de apoio e ajuda. Culpa-se a todos, mas quantos engajam-se na busca de soluções? Precisamos sonhar, planejar, lutar para que mais crianças, adolescentes e adultos possam viver livres, sem drogas, viver plenamente.

Como o OBID pode contribuir para seu trabalho?
Desde muito cedo defendi o uso de estatísticas, estudos, pesquisas como ferramentas que auxiliam no diagnóstico e na solução de problemas e para evidenciar as boas práticas. Além disso, o conhecimento decorrente serve muito pouco se não compartilhado com a sociedade e com aqueles que atuam na área. O OBID é uma excelente ferramenta para propiciar e fomentar a excelência nos serviços, cuidados e atenção na área do uso e dependência do álcool e outras drogas. Estudos científicos, com base em evidências, são absolutamente necessários para o aprimoramento dos serviços, para o atendimento de qualidade e excelência de toda a sociedade, das entidades atuantes na área, público ou privadas e, não por último, para a correta aplicação dos recursos públicos. O fomento da pesquisa, estudos e avaliações também por organizações da sociedade civil atuantes na área é fundamental.

Rolf Hartmann é economista e contador. Presidente e cofundador da Cruz Azul no Brasil, membro da diretoria e responsável financeiro da International Blue Cross (fundada em 1877), cofundador e tesoureiro do CERENE – Centro de Recuperação Nova Esperança durante 18 anos, membro do COMEN de Blumenau, SC, assessor de legislação da CONFENACT – Confederação Nacional de Comunidades Terapêuticas, atuando na área do uso e dependência do álcool e outras drogas há 30 anos.