Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Especialistas se reúnem no Inpa para criar rede global em segurança alimentar e nutricional

Notícias

Especialistas se reúnem no Inpa para criar rede global em segurança alimentar e nutricional

COMBATE À FOME

Ao todo, são esperados cerca de 150 participantes, entre representantes de universidades, centros de pesquisas, governo e organizações internacionais de vários continentes
publicado  em 06/04/2016 14h31

Na próxima semana (12 e 13), Manaus será a capital mundial da Segurança Alimentar Nutricional. Pesquisadores da África, América do Sul, América do Norte, Ásia, Oriente Médio e Europa estarão reunidos no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) para implementar a criação de uma Rede Global de Institutos de Pesquisa, Ensino e Extensão em Segurança Alimentar e Nutricional.

O evento acontecerá no Auditório do Bosque da Ciência do Inpa, em horário integral. Os pesquisadores e profissionais de instituições de ensino, pesquisa e extensão que queiram participar do encontro ainda podem se inscrever.

Ao todo, são esperados cerca de 150 participantes, entre representantes de universidades, centros de pesquisas, governo e organizações internacionais de várias partes do mundo, que compartilharão suas experiências e ações em redes em segurança alimentar e nutricional

O evento é uma promoção do Ministério das Relações Exteriores (MRE) em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), por meio da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), Inpa, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (Unesp) e o Fundo das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

A pesquisadora do Inpa, a nutricionista Dionisia Nagahama, explica que o objetivo da Rede Global é a criação de uma plataforma que interligue e fortaleça as redes em segurança alimentar e nutricional existentes nos diversos continentes, propiciando intercâmbio de conhecimento e experiências. O encontro também fortalecerá a Rede de Tecnologias Sociais e Educação em Segurança Alimentar e Nutricional, recentemente criada no Inpa, para fazermos algo grandioso nessa área”, diz.

 

OficinaGastronômicaFotoLuciete

 

 

Essa rede tem o objetivo de desenvolver ações voltadas para a implementação da agricultura familiar e a soberania alimentar na Amazônia Brasileira e África Portuguesa”, conta a pesquisadora, que também faz parte da Rede de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional da União das Nações Sul-Americanas (Rede SSAN-Unasul). São 25 projetos em 12 países que visam fomentar o debate e a troca de experiência para a área de segurança alimentar. O Brasil coordena as atividades por meio do MCTI e da Unesp.

No primeiro dia do evento os pesquisadores mostrarão as experiências na construção de redes na África, América do Sul, América do Norte, Ásia, Oriente Médio e Europa. No dia seguinte, serão apresentados os pontos focais dos trabalhos realizados em seis biomas/territórios: Amazônia, Pampa, Cerrado, Caatinga, Caribe e Herança Africana.

Para o diretor de Ações Regionais da Secis/MCTI, Osório Coelho, a iniciativa do fomento à Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional assumiu um imenso protagonismo no âmbito do MCTI, mais especificamente na Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), pelo fato de estar incentivando a pesquisa e a inovação de uma forma capilarizada e potencializada por núcleos de pesquisadores.

O fortalecimento do tema se deve, principalmente, ao amadurecimento da discussão e do compartilhamento de experiências inovadoras” diz Coelho.

Para ele, o sucesso desta Rede se deve ao fato de que existe uma real necessidade do estabelecimento de plataformas, que possam congregar experiências, boas práticas e pesquisas, em âmbito mundial. “Isso nos incentivou a desenharmos, juntamente com outros parceiros, uma rede de pesquisadores e instituições”, ressalta.

O coordenador geral de Ações Humanitárias e Combate à Fome do Ministério das Relações Exteriores, o ministro Milton Rondó, explica que a Rede atende à proteção, promoção e provisão do Direito Humano à informação científica e empírica sobre Segurança Alimentar e Nutricional.

Para o ministro, o Inpa é uma das instituições de maior respeito no Brasil e no mundo, por isto decidiu-se realizar o evento internacional em Manaus. “E a vastidão da Amazônia deixa clara a importância do intercâmbio entre países que compartem o mesmo bioma e as sinergias que podem resultar da cooperação internacional neste campo”, diz o ministro.    

 

CastanharanbuanLuciete

 

 

Conforme a diretora técnica do Programa SSAN-Unasul, a professora da Unesp Maria Rita de Oliveira, o trabalho colaborativo é o caminho que se apresenta para que a ciência e a tecnologia efetivamente contribuam com a construção de uma nova sociedade. “O alimento é um tema agregador e, ao mesmo tempo, vem cada vez mais se apresentando entrelaçado aos grandes problemas da atualidade”.

O encontro será transmitido com tradução simultânea para o espanhol, via internet, pela TV Unesp, no linkhttp://tv.unesp.br/unasul/.

Nutrição para o crescimento

A reunião internacional que acontecerá em Manaus é uma atividade no âmbito do projeto Nutrition for Growth, ou Nutrição para o Crescimento (N4G), lançado em 2013, no Reino Unido, como resultado de processo de engajamento político iniciado nas Olimpíadas de Londres em 2012, pelo chefe de Governo do Reino Unido, David Cameron, e pela presidente Dilma Rousseff.

A iniciativa de realizar o encontro no Brasil, próximo das Olimpíadas Rio 2016, renovará o compromisso global com a nutrição, e será voltada à promoção dos mecanismos de implementação das metas globais de nutrição, pactuadas nos foros internacionais, a fim de melhorar a nutrição, em especial na infância, por meio de políticas públicas com comprovado impacto.

Fonte: INPA/MCTI