Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Setembro > Programa Cisternas é tema de roda de conversa

Notícias

Programa Cisternas é tema de roda de conversa

CAMINHOS DO SABER

Resultados e perspectivas foram apresentados no Caminho da Água
publicado  em 12/09/2017 17h13
Foto Rafael Zart/MDS

Brasília – Uma tecnologia simples e de baixo custo transformou a vida de mais de 1 milhão de famílias que sofriam com a estiagem. Foi assim que começou a roda de conversa sobre o Programa Cisternas, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), nesta terça-feira (12) no Caminho da Água. A atividade integra o X Congresso Brasileiro de Agroecologia, que vai até sexta-feira (15) na capital federal.

Além de apresentar resultados, o diretor de Fomento à Produção e à Estruturação Produtiva do MDS, Francisco Mello, falou sobre as tecnologias sociais de acesso à água apoiadas pelo programa. No total, são 14 tecnologias, sendo que nove são adaptadas ao Semiárido. “Esta atividade possibilita o diálogo sobre um programa que garante dignidade para quem vive nas regiões mais secas do país”.

Ele destacou ainda que o programa acaba de ser premiado como uma das três melhores políticas públicas no mundo. Disse também que o MDS está fechando um acordo de cooperação com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para destinar mais recursos para a construção de cisternas.

Durante a roda de conversa, o técnico de campo Daniel Vilar, de Sumé (PB), relembrou as histórias do pai sobre a seca e as frentes de emergência para a construção de açudes e barragens – ações que não garantiram água para a população que mais precisava. “Diferente da história que meu pai contava, a cisterna mudou significativamente a vida das pessoas, que passaram a ter água de qualidade”.

Vilar trabalha no Consórcio Intermunicipal de Saúde do Cariri Ocidental – entidade que executa o Programa Cisternas. Ele contou que os dados municipais de saúde mostram a redução de algumas doenças, relacionadas à qualidade da água, depois da construção de cisternas na região.

Leia Também:
Público do Congresso de Agroecologia 2017 prestigia tenda Alimentação Saudável
Oficina de hortas caseiras atrai crianças e adultos
Guia Alimentar da População Brasileira é tema de roda de conversa
Oficina Comer Pra Quê? promove discussão sobre hábitos alimentares
Painel aborda estratégias de mercado para os produtos da sociobiodiversidade
MDS cadastra cooperativas de agricultores familiares para comercializar produtos para órgãos federais
Plataforma do Idec localiza as feiras orgânicas mais próximas da sua casa
Benefícios dos temperos na alimentação infantil são tema de palestra na tenda Alimentação Saudável
Tenda Dona Flor promove rodas de conversas sobre a saúde dos povos e comunidades tradicionais
Nutricionista da Emater-DF ensina receitas de sucos funcionais durante oficina
Oficina debate modelo de comercialização de alimentos com o apoio da comunidade
Feira Agroecológica e da Sociobiodiversidade é oportunidade de negócios e troca de experiências

Encontro – Os caminhos do saber são espaços de construção e troca de conhecimentos sobre a agroecologia que dialogam diretamente com a sociedade em espaços abertos durante o Congresso de Agroecologia 2017.

O congresso é a realização simultânea do VI Congresso Latino-americano de Agroecologia, X Congresso Brasileiro de Agroecologia e V Seminário de Agroecologia do Distrito Federal e Entorno. Os eventos são promovidos pela Sociedade Científica Latino-americana de Agroecologia (Socla) e Associação Brasileira de Agroecologia (ABA-Agroecologia), organizados em Brasília por uma comissão formada por representantes da Embrapa, Universidade de Brasília, Emater-DF, Secretarias de Estado do GDF (Seagri e Sedestmidh), Ibram e ISPN. Conta com o apoio de vários ministérios, organizações e movimentos sociais. O evento é patrocinado por BNDES, Itaipu Binacional e Fundação Banco do Brasil.

Saiba mais

O governo federal já entregou mais de 1 milhão de tecnologias sociais de acesso à água, sendo 877 mil cisternas de placas para o consumo humano, 143 mil para a produção de alimentos e 4 mil cisternas escolares.

O Programa Cisternas é executado pelo MDS em parceria com governos estaduais, municipais, consórcios públicos municipais e organizações da sociedade civil. A cisterna para consumo humano é projetada para suprir necessidades básicas (beber, cozinhar e higiene pessoal) de uma família de até cinco pessoas por oito meses, o período normal de estiagem no Semiárido.

Já as tecnologias sociais de acesso à água para produção de alimentos garantem condições para as famílias agricultoras produzirem para o autoconsumo e também para a comercialização de excedentes em feiras locais ou nos programas de compras institucionais, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

Tendas Alimentação Saudável e Dona Flor: Saberes e Práticas de Saúde e Cura  (12/09/2017)

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa

registrado em: