Busca Ativa

publicado  em 02/07/2015 15h31

 

A Busca Ativa é uma ação presente em todo o Plano Brasil Sem Miséria, que pretende levar o Estado aonde o cidadão está, sem esperar que as pessoas mais pobres procurem o poder público. Para tanto, o primeiro passo está na Busca Ativa de famílias para sua inscrição no Cadastro Único. Isso requer que os municípios se organizem territorialmente, com o apoio dos estados, de forma a incluir novas famílias e a identificá-las corretamente.

Realizar a Busca Ativa para o cadastramento significa estabelecer estratégias e ações, com a colaboração de parceiros, para identificar e cadastrar todas as famílias de baixa renda, com especial prioridade àquelas em situação de pobreza extrema, isto é, com renda familiar mensal de até R$ 77,00 por pessoa.

Três ações são fundamentais para o sucesso da Busca Ativa para Cadastramento:

  1. Realizar a Busca Ativa não apenas com ações para identificar e cadastrar as famílias em extrema pobreza ainda não cadastradas, mas, também, investindo em ações de atualização cadastral. Isso porque a população brasileira de baixa renda tem rendimentos instáveis — ou seja, uma família que não estava em situação de extrema pobreza no momento de sua inclusão no Cadastro Único pode ter uma piora nos rendimentos.
     
  2. Identificar corretamente, no Cadastro Único, todas as famílias que pertençam a grupos populacionais tradicionais e em situação específica. É importante identificar se a família é indígena, quilombola, extrativista, se está em situação de rua, entre outras classificações. Essas famílias são público-alvo do Cadastramento diferenciado.
     
  3. Garantir a identificação e o cadastramento de todas as famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica: mesmo as residentes em áreas remotas e as que vivem em regiões urbanas com violência. Chegar a essas famílias requer investimento, colaboração e parcerias.