Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Brasil Sem Miséria > Inclusão Produtiva Rural > Busca ativa no meio rural

Busca ativa no meio rural

publicado  em 29/09/2015 00h00

A estratégia de chegar às famílias em extrema pobreza e garantir que suas demandas e potencialidades se tornassem visíveis para o Estado brasileiro envolveu um conjunto de atores e diferentes ações que caracterizaram a Busca Ativa. No meio rural, várias iniciativas foram colocadas em ação para garantir que mais famílias fossem incluídas no Cadastro Único e no Programa Bolsa Família.

Na região norte do país, em assentamentos verdes e unidades de conservação, foram feitos mutirões específicos para inclusão de famílias no Cadastro Único e também no Programa Bolsa Verde. Por meio do Programa Nacional de Documentação da Trabalhadora Rural (PNDTR) foram realizados mutirões para promoção do acesso à documentação de mulheres rurais e, a partir de 2013, os gestores municipais do Cadastro Único passaram a participar dos mutirões de documentação e promover a Busca Ativa de famílias para o Cadastro.

Também foram feitas articulações entre os gestores estaduais e municipais do Cadastro Único e as instituições públicas envolvidas com o desenvolvimento rural. Assim, Superintendências do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Unidades de Conservação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e empresas de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) foram envolvidas em ações de Busca Ativa e puderam incluir famílias no Cadastro

Único, assim como desenvolver parcerias para emitir a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) que possibilita o acesso a um conjunto de políticas públicas de desenvolvimento rural.

O Cadastro Único também se fortaleceu e tornou-se a principal ferramenta de planejamento das ações para a superação da pobreza rural em toda sua diversidade. Foi feito um trabalho de capacitação dos gestores municipais e a identificação dos diversos públicos do rural no Cadastro Único aumentou de forma significativa, com destaque para extrativistas, assentados, quilombolas e indígenas. A qualificação das informações do Cadastro Único possibilita ao Estado identificar e traçar um perfil mais detalhado dessa população e suas vulnerabilidades e potencialidades.

Para mais informações sobre a estratégia da Busca Ativa, clique aqui

registrado em: