Saúde

publicado  em 15/07/2015 16h05

Na mesma lógica das ações de educação, a Saúde utiliza os critérios do Brasil Sem Miséria para definir a ampliação de suas metas de atendimento, redirecionando suas ações para beneficiar municípios com maior concentração de população em extrema pobreza.

Unidades Básicas de Saúde 

Unidades construídas em municípios de extrema pobreza e que atendem até 80% dos problemas de saúde da população, sem que haja a necessidade de encaminhar o paciente ao hospital. Trata-se da porta preferencial do Sistema Único de Saúde (SUS). 
904 Unidades Básicas de Saúde foram construídas em municípios prioritários, entre 2011 e junho de 2015.
Mais informações: Unidades Básicas de Saúde

Saúde da Família 
Equipes compostas por médicos, dentistas, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários, que atendem os pacientes em suas residências e/ou nas UBS. Essas equipes disponibilizam ações como prevenção, tratamento e educação em saúde, reduzindo a ida dos pacientes aos hospitais e evitando internações.
De 2011 a 2014, mais de 4,88 milhões de pessoas foram beneficiadas com o aumento da cobertura das Equipes de Saúde da Família.
Mais informações: Saúde da Família 

Distribuição de Medicamentos

Também conhecido como Aqui tem Farmácia Popular, oferece medicamentos gratuitos para diabetes e hipertensão e outros com desconto para asma, rinite, mal de Parkinson, osteoporose, glaucoma, contraceptivos e fraldas geriátricas.Até 2014 haviam 11.844 farmácias credenciadas e 262 unidades próprias do SUS, em 1.503 municípios prioritários.
Mais informações: Farmácia Popular 

Saúde na Escola 
O objetivo de promover a saúde dos alunos brasileiros de escolas públicas. As equipes desenvolvem ações junto às escolas da sua área de cobertura, promovendo hábitos saudáveis e cultura de paz, prevenção da drogadição e alcoolismo, educação sexual e diagnóstico precoce de problemas de saúde que comprometam o desempenho escolar e o desenvolvimento adequado das crianças e jovens.

Até 2014, o Programa de Saúde na Escola foi implantado em 4.787 municípios, alcançando 20 mil creches pactuadas e 3,13 milhões de educandos matriculados em creches e pré-escolas.
Mais informações: Saúde da Família 

Doenças Decorrentes e Perpetuadora da Pobreza
Existe uma série de doenças e agravos à saúde que são diretamente ligados a situação de pobreza, conhecida também como doenças decorrentes e perpetuadoras da pobreza. Essa doenças são muitas vezes causadas por falta de condições mínimas de higiene e saneamento, situações inadequadas de moradia ou falta de moradia, e outras condições da pobreza. Ao contrair essas doenças, a população acometida que já é privada de aspectos importantes para saúde, ainda podem ficar incapacitadas para o trabalho e sofrem o estigma de haver contraído a doença, perpetuando o ciclo de pobreza.

Por essa razão, o Ministério da Saúde definiu no segundo semestre de 2011 um conjunto de endemias que demandam ações estratégicas para eliminação como problema de saúde pública ou para redução drástica da carga dessas doenças. Neste grupo estão incluídas a hanseníase, esquistossomose, filariose linfática, geohelmintíases, oncocercose e tracoma.

Essas doenças foram consideradas prioritárias no Plano Brasil sem Miséria, como parte enfrentamento da redução da pobreza no país. Para superá-las, o Ministério da Saúde elaborou o “Plano Integrado de Ações Estratégica de eliminação da hanseníase, filariose, esquistossomose e oncocercose como problema de saúde pública, tracoma como causa de cegueira e controle das geohelmintíases – Plano de Ação 2015

Entre os resultados deste Plano Integrado, destaca-se a campanha de hanseníase e geo-helmintíase de 2013 em mais de 21 mil escolas de 852 municípios. A campanha distribuiu 2,9 milhões de doses de albendazol (para geo-helmintíase), realizou o diagnóstico de 291 casos de hanseníase em menores de 15 anos de idade e examinou mais de 45 mil alunos para tracoma (com confirmação da doença em 5,1% dos exames).

Na campanha de 2014, ainda em execução, o alcance foi ampliado para 1.227 municípios, utilizando critérios de endemicidade, IDH, cobertura de esgotamento sanitário e oferta de água (Portaria GM n. 1253/2014)

Com o Plano Integrado, a oncocercose entrou na fase de pré-eliminação, sem nenhum caso registrado desde 2012. A filariose linfática atingiu taxas muito baixas de incidência nos anos de 2012 e 2013, seguindo a tendência de eliminação.

Para mais informações, acesse http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/svs

 

registrado em: ,