Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2019 > Maio > Exército em Ponta Grossa (PR) vai adquirir quase R$ 1,3 milhão em produtos da agricultura familiar

Exército em Ponta Grossa (PR) vai adquirir quase R$ 1,3 milhão em produtos da agricultura familiar

publicado  em 23/05/2019 17h00

 


 

LOC: O Terceiro Regimento de Carros de Combate do Exército Brasileiro em Ponta Grossa, no Paraná, vai comprar até quase 1 milhão e 300 mil reais em alimentos da agricultura familiar. A lista de compras é composta por 170 itens entre hortaliças, frutas, legumes e laticínios. Serão beneficiadas com os produtos as unidades do Comando da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada, do 13º Batalhão de Infantaria Blindado e do 5º Esquadrão de Cavalaria Mecanizada, que está localizado no município de Castro. As propostas devem ser entregues até o dia 27.

Os alimentos irão abastecer os batalhões por um ano. O processo será realizado por meio da modalidade Compra Institucional, do Programa de Aquisição de Alimentos, o PAA. Por lei, ao menos trinta por cento dos produtos adquiridos para alimentação nas instituições públicas federais devem vir da agricultura familiar. 

A Cooperativa Camponesa de Produção Agroecológica da Economia Solidaria, de Ponta Grossa, que conta com a adesão de mais de 100 famílias de agricultores, já entregou produtos na última chamada pública lançada pelo regimento do Exército. O presidente da Cooperativa, José Carlos Troguilho, relata o motivo pelo qual deseja continuar a vender pelo PAA.


SONORA JOSÉ CARLOS TROGUILHO

LOC: A coordenadora de Aquisição e Distribuição de Alimentos do Ministério da Cidadania, Hetel Santos, ressalta que editais com um grande volume de recursos ajudam a fortalecer e a organizar o setor da agricultura familiar.


SONORA COORDENADORA HETEL SANTOS

LOC: Para acompanhar as chamadas públicas abertas em todo o país, basta acessar o portal comprasagriculturafamiliar.gov.br. Na modalidade Compra Institucional do PAA, cada agricultor pode vender até vinte mil reais, por ano, para cada órgão comprador. Já para as cooperativas ou associações, o teto é de seis milhões de reais, por ano, por órgão comprador.

Reportagem, André Luiz Gomes.