Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2019 > Fevereiro > Ministro da Cidadania critica possibilidade de liberação das drogas pelo STF

Ministro da Cidadania critica possibilidade de liberação das drogas pelo STF

publicado  em 25/02/2019 19h00

 


 

LOC: O ministro da Cidadania, Osmar Terra, fez duras críticas à possibilidade de o Supremo Tribunal Federal liberar o porte de drogas para consumo./ Em junho, o Tribunal deve julgar se o consumo de drogas é crime ou não, sendo que três dos onze ministros do STF já se manifestaram sobre o tema e votaram pela descriminalização./ Terra defende um endurecimento da legislação contra o tráfico./ Segundo o ministro, a decisão sobre a liberação das drogas deve ser tomada pelo Congresso, onde estão os representantes da sociedade eleitos diretamente pelo povo e não pelo Judiciário./

SONORA: MINISTRO DA CIDADANIA - OSMAR TERRA

LOC: A manifestação ocorreu durante evento em comemoração do aniversário de cem anos do Padre Haroldo Rahm, no último sábado, 23, em Campinas, São Paulo./ O padre é um dos pioneiros na criação de comunidades terapêuticas para o tratamento e amparo de dependentes químicos no Brasil./ Na ocasião, Terra anunciou o apoio do governo federal para a ampliação de vagas nas comunidades e falou do papel da recém-criada Secretaria de Cuidados e Prevenção às Drogas, ligada ao Ministério da Cidadania./

SONORA: MINISTRO DA CIDADANIA - OSMAR TERRA

LOC: Ex-morador da Cracolândia, em São Paulo, Alex Braga falou sobre o papel da comunidade terapêutica e como a experiência mudou a sua vida./

SONORA: ALEX BRAGA

LOC: A entidade que ajudou a tirar Alex das ruas foi a Federação do Amor Exigente, criada pelo padre Haroldo Rahm e que representa 100 mil familiares de dependentes de drogas. O presidente da instituição, Miguel Tortorelli, reforçou que o apoio do governo federal para tratar os dependentes químicos no país é fundamental./

SONORA: MIGUEL TORTORELLI

LOC: Para mais informações sobre ações e programas do Ministério da Cidadania, acesse cidadania.gov.br./

Reportagem, Diego Queijo