Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2019 > Fevereiro > Batalhão do Exército em Teresina irá comprar R$ 250 mil da agricultura familiar

Batalhão do Exército em Teresina irá comprar R$ 250 mil da agricultura familiar

publicado  em 20/02/2019 10h24

 


 

LOC: O Segundo Batalhão de Engenharia de Construção do Exército Brasileiro, em Teresina, no Piauí, abriu uma chamada pública para comprar alimentos da agricultura familiar. A aquisição será realizada por meio da modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos, o PAA. O investimento total é de 250 mil reais para comprar frutas, verduras, hortaliças, ovos e polpas de suco. As propostas devem ser encaminhadas até quinta-feira, dia 21,  para o setor de compras da unidade. 

O agricultor familiar Francisco Antônio do Nascimento, de 37 anos, é presidente da Cooperativa Frutos Daqui, especializada na produção de polpas de fruta. Em 2018, a cooperativa composta por 66 famílias do município de José de Freitas conseguiu repassar mais de 18 mil reais em produtos para o Instituto Federal do Piauí e agora deseja aumentar a clientela. Francisco ressalta os benefícios da venda para os órgãos federais.

SONORA FRANCISCO NASCIMENTO


LOC: Atualmente, a legislação determina que pelo menos 30% dos alimentos adquiridos para abastecer órgãos federais venham da agricultura familiar. Para a coordenadora geral de Aquisição e Distribuição de Alimentos do Ministério da Cidadania, Hetel Santos, a Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos é uma ferramenta fundamental para promover o desenvolvimento local e incentivar a permanência dos agricultores no campo. 

SONORA COORDENADORA HETEL SANTOS

LOC: As cooperativas e agricultores que têm interesse em participar das chamadas públicas devem acessar o portal: comprasagriculturafamiliar.gov.br. 


Na Modalidade Compra Institucional, cada agricultor poderá vender até o limite de 20 mil reais, por ano, para cada órgão comprador. Já para as cooperativas ou associações, o teto é de 6 milhões de reais por ano, por órgão comprador.

Reportagem, André Luiz Gomes