Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2018 > Setembro > Venezuelanos são transferidos para Brasília, São Paulo e Rio Grande do Sul em mais interiorização

Venezuelanos são transferidos para Brasília, São Paulo e Rio Grande do Sul em mais interiorização

publicado  em 05/09/2018 10h00

 

 


 

LOC: O governo federal encaminhou, nesta quarta-feira (5), 204 venezuelanos para abrigos em Brasília, São Paulo e Esteio, no Rio Grande do Sul. São famílias que chegaram ao país pela fronteira no estado de Roraima e se encontravam em situação de extrema vulnerabilidade./ Os imigrantes aceitaram participar do processo de interiorização em busca de melhores condições de vida./ Esta é a sétima etapa do processo.
 
O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, recebeu os venezuelanos na base aérea em Brasília, e acompanhou a viagem para São Paulo e Rio Grande do Sul. Ele destacou que a acolhida aos venezuelanos é dever do Estado brasileiro.

SONORA: Alberto Beltrame

LOC: No fim de agosto, o ministro vistoriou os abrigos que estão recebendo os imigrantes em Esteio e Canoas, região metropolitana de Porto Alegre./ Até o dia 18, está prevista a chegada de 646 pessoas ao Rio Grande do Sul./ Elas serão transportadas em voos da Força Aérea Brasileira (FAB)./ Para cada pessoa acolhida, o Ministério do Desenvolvimento Social está repassando aos abrigos e prefeituras o equivalente a 400 reais por mês./ As etapas anteriores da interiorização já abrigaram venezuelanos nos estados de Amazonas, Paraíba, Pernambuco, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo, além do Distrito Federal.

LOC: Shandy Garcia, de 44 anos, caminhou 15 quilômetros para chegar a Pacaraima, em Roraima. Agora, na região metropolitana de Porto Alegre, tem o sonho de dar melhores condições de vida para os pais, a esposa e os quatro filhos.

SONORA: Shandy Garcia

LOC: O processo de interiorização conta com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (Acnur), da Agência da ONU para as Migrações (OIM), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

Reportagem, Roberto Rodrigues