Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2018 > Outubro > Mais de 1,7 milhão de beneficiários do BPC têm até o fim do ano para fazer a inscrição no Cadastro Único

Mais de 1,7 milhão de beneficiários do BPC têm até o fim do ano para fazer a inscrição no Cadastro Único

publicado  em 30/10/2018 14h54

 


 

LOC: Mais de 1 milhão e 700 mil pessoas que recebem o Benefício de Prestação Continuada, o BPC - também conhecido como benefício LOAS -, ainda não fizeram a inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. O registro é obrigatório e o prazo termina no dia 31 de dezembro. Entre as vantagens de fazer parte do Cadastro Único está a possibilidade de participar dos vários programas sociais do governo.

O BPC tem o valor de um salário mínimo e é pago mensalmente a idosos e pessoas com deficiência que possuem renda familiar de até 238 reais por pessoa. É o caso do morador de Viana, no Espírito Santo, Norberto Rodrigues Filho. Ele passou a receber o benefício depois de sofrer um acidente em 2013, quando perdeu parte dos movimentos do braço direito. Norberto já fez o registro obrigatório no Cadastro Único e fala sobre a importância de continuar recebendo o dinheiro. Com o BPC, ele diz conseguir se sustentar e manter a casa onde mora.

SONORA: NORBERTO RODRIGUES FILHO

LOC: Para se inscrever, os beneficiários do BPC devem procurar os Centros de Referência de Assistência Social, os Cras, ou a secretaria de assistência social do município, portando CPF, RG e comprovante de residência. O registro também pode ser feito pelo responsável familiar, contanto que leve os documentos de todas as pessoas que moram com o beneficiário.

Até o momento, mais de 2 milhões 800 mil pessoas já registraram as informações na ferramenta do governo brasileiro. O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, destaca a importância do registro não só para continuar recebendo o BPC, mas para acessar outros benefícios.organização escolhida receberá recursos de até 1 milhão e 850 mil reais do governo federal por meio de uma parceria estabelecida entre o MDS e o Ministério dos Direitos Humanos.

SONORA: MINISTRO ALBERTO BELTRAME

LOC: Para mais informações, acesse mds.gov.br.

Reportagem, Diego Queijo