Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2018 > Junho > Olhar Social: serviço de Proteção e Atenção Integral à Família fortalece comunidade quilombola

Olhar Social: serviço de Proteção e Atenção Integral à Família fortalece comunidade quilombola

publicado  em 29/06/2018 15h59
Olhar Social: serviço de Proteção e Atenção Integral à Família fortalece comunidade quilombola

 

LOC: A comunidade quilombola Sítio Bosque fica no interior do município de Moju, no Pará. Por causa da distância, uma das maiores dificuldades da população era ir até os centros de atendimento da Assistência Social na cidade. Atualmente, uma equipe de busca ativa percorre o território levando os principais serviços socioassistenciais do governo federal, como o de Proteção e Atendimento Integral à Família, o PAIF. Uma das famílias atendidas é a de Manoel Trindade e Claudiane Freitas. Com quatro filhos, eles vivem no interior da floresta e sobrevivem da colheita do açaí e da mandioca. Quando a equipe chegou, foram identificadas as necessidades e dificuldades do casal. A partir daí, eles foram acolhidos e passaram a receber o benefício do Bolsa Família e as visitas do Criança Feliz, melhorando a qualidade de vida. Como contam os dois.

SONORA: MANOEL TRINDADE E CLAUDIANE FREITAS

LOC: O PAIF desenvolvido na comunidade é o principal serviço da proteção social básica. O objetivo das ações é fortalecer e apoiar as famílias, prevenir situações de vulnerabilidade e promover o acesso a benefícios e a autonomia de cada pessoa. Quem atende a família de Manoel e Claudiane é a assistente social Ana Cristina Santana. Segundo ela, o acolhimento funciona de acordo com as necessidades de cada família para garantir a cidadania.

SONORA: ANA CRISTINA SANTANA

LOC: Um dos líderes comunitários, Valmir Natividade, destaca a importância do trabalho social desenvolvido com base no respeito, no conhecimento e na compreensão da realidade e das relações familiares.

SONORA: VALMIR NATIVIDADE

LOC: A secretária nacional de Assistência Social, Carminha Brant, afirma que é preciso sempre levar em consideração o ambiente da família para que os resultados sejam melhores e ajudem na superação da pobreza.

SONORA: CARMINHA BRANT

LOC:Para saber sobre essas e outras ações e programas do Ministério do Desenvolvimento Social, acesse mds.gov.br

Reportagem, Diego Queijo