Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2018 > Janeiro > Pente-fino do INSS ganha reforço em 2018 com mudança que deve aumentar produtividade de peritos

Pente-fino do INSS ganha reforço em 2018 com mudança que deve aumentar produtividade de peritos

publicado  em 16/01/2018 17h49
Agência MDS - Release Radio - 21/11/2017 - Osmar Terra apresenta programa Criança Feliz a prefeitos de Santa Catarina

 

LOC: Realizar mais de um milhão e duzentas mil perícias de revisão dos benefícios de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez é a meta do governo federal em 2018. Para dar mais rapidez a esse pente-fino, que identifica quem não precisa mais dos benefícios e melhora o atendimento à população, o ministério do Desenvolvimento Social editou uma portaria que cria uma nova modalidade de trabalho para os peritos: por produtividade./ A ideia é que o tempo de trabalho dos médicos do Instituto Nacional de Seguro Social ,o INSS, que aderirem a essa nova modalidade será contabilizado pelo número de atendimentos realizados e não mais pelas horas que permanecerem no local de trabalho.

O novo sistema leva em conta as atividades executadas todos os dias. A expectativa é que a ação dê mais rapidez ao pente-fino e ao atendimento de quem espera avaliação para começar a receber um benefício, reduzindo filas. De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social em exercício, Alberto Beltrame, médicos e segurados do INSS serão beneficiados com a ação.

SONORA:  ALBERTO BELTRAME - MINISTRO EM EXERCICIO

LOC: Ao aderir ao programa, o médico se compromete a realizar quatro perícias de revisão dos benefícios por dia e a participar de mutirões quando necessário. A mudança depende da adesão dos peritos. A expectativa do governo é que pelo menos mil e quinhentos profissionais aceitem essa nova modalidade de trabalho. Com isso, seriam computadas ao menos 120 mil perícias por mês./ Desde agosto de 2016, foram realizadas 249 mil perícias médicas. Mais de 80 por cento dos benefícios foram cancelados, o que já gerou uma economia de 5 bilhões e 700 milhões de reais para o Fundo da Previdência Social.  

A partir desse aperfeiçoamento no trabalho dos peritos, o governo federal poderá poupar até R$ 20 bilhões somente com as revisões de auxílio-doença. /  Estão sendo convocados para avaliação os beneficiários do auxílio-doença e da aposentadoria por invalidez que há mais de dois anos não passam por perícia médica. No caso dos aposentados, não serão chamados aqueles que tiverem mais de 60 anos ou quem tiver 55 anos e receber o benefício há pelo menos 15 anos.//

Reportagem, Carolina Graziadei
 

Ouça aqui (3'14)


 

registrado em: , ,