Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2018 > Fevereiro > Idosos fortalecem vínculos e vivem melhor com apoio da Assistência Social

Idosos fortalecem vínculos e vivem melhor com apoio da Assistência Social

publicado  em 19/02/2018 16h19
Agência MDS - Release Radio - 21/11/2017 - Osmar Terra apresenta programa Criança Feliz a prefeitos de Santa Catarina

 

LOC: A dona Raquel Lopes da Costa, de 66 anos, é portadora da Doença de Chagas. Desde que descobriu, começou o tratamento e seguiu orientação médica para procurar alguma atividade que ocupasse a cabeça. Foi no Centro de Convivência da cidade de Riacho Fundo, no Distrito Federal, que ela encontrou um remédio contra a preocupação.

SONORA RAQUEL LOPES DA COSTA

LOC: As reuniões também causaram uma transformação na vida da dona Maria de Lourdes Dias, de 81 anos.

SONORA MARIA DE LOURDES DIAS

LOC: Já Maria Rosendo dos Santos, de 72 anos, carinhosamente chamada de Cota, vive sozinha e vê no grupo de Convivência e Fortalecimento de Vínculos seu porto seguro.

SONORA MARIA ROSENDO DOS SANTOS

LOC: Seu Martinho Pereira também conta com alegria que comemorou o aniversário de 70 anos com o seu grupo de amigos no Centro de Convivência.

SONORA MARTINHO PEREIRA

LOC: O educador social Luciano de Oliveira, que acompanha o grupo de idosos, aponta o principal resultado que o atendimento tem gerado.

SONORA LUCIANO DE OLIVEIRA

LOC: Histórias como essas se repetem em todo o país. Em média, por ano, são atendidos mais de 340 mil idosos pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos - como são chamados os grupos de interação. Os atendimentos são realizados em quase 5 mil municípios. De acordo com a diretora do Departamento de Proteção Social Básica, Renata Ferreira, o serviço é muito mais do que uma reunião de idosos.

SONORA LUCIANO DE OLIVEIRA

LOC: O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos é uma das ações ofertadas no Sistema Único de Assistência Social, o Suas, e recebe diferentes públicos. Por meio do atendimento em grupo, estimula e orienta os usuários a se tornarem protagonistas de suas histórias e a viverem melhor em comunidade.  Para participar das atividades, basta procurar o Centro de Referência da Assistência Social, o CRAS, mais próximo de casa.

Reportagem, André Luiz Gomes