Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2018 > Dezembro > MDS e ACNUR renovam acordo de cooperação e lançam livro com fotos da interiorização de venezuelanos no Brasil

MDS e ACNUR renovam acordo de cooperação e lançam livro com fotos da interiorização de venezuelanos no Brasil

publicado  em 28/12/2018 16h12
Agência MDS - Release Radio - 26/11/2018 - Aplicativo Meu CadÚnico já soma mais de 66 mil instalações

 


LOC: O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, o ACNUR, renovaram, nesta sexta-feira, em Brasília, o acordo de cooperação que garante aos refugiados em situação de vulnerabilidade e risco social o acesso aos direitos socioassistenciais. Além da assinatura do convênio também foi lançado o livro Pátria Mãe Gentil, com fotos do processo de interiorização de venezuelanos no Brasil.

Segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, o ACNUR é um parceiro estratégico e a renovação do acordo é um reconhecimento do trabalho realizado em conjunto com o governo brasileiro. Beltrame também ressaltou que o livro representa todo o esforço nacional nessa ação humanitária./ 

SONORA MINISTRO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL – ALBERTO BELTRAME

LOC: O convênio permite o gerenciamento das medidas de identificação, recepção e acolhimento de imigrantes, incluindo a orientação dos cidadãos que atravessam a fronteira nos postos, o cadastro de pessoas e o atendimento social nos postos e abrigos temporários em vários Estados do país.

O representante adjunto do ACNUR no Brasil, Federico Martinez, destacou que o país é uma referência internacional no acolhimento dos refugiados. Para ele, o convênio irá permitir avançar nesse processo. / 

SONORA REPRESENTANTE ADJUNTO NO BRASIL – FEDERICO MARTINEZ

LOC: O venezuelano Gilmenson José Espinosa é um dos personagens que estampam o livro Pátria Mãe Gentil. Ele e a esposa vieram com os dois filhos para Brasília no processo de interiorização, estão trabalhando e conseguiram alugar uma casa na cidade. Gilmenson conta que a acolhida no Brasil renovou sua perspectiva de uma nova vida para a família./

SONORA GILMENSON JOSÉ ESPINOSA

LOC: O livro é composto por três capítulos, que envolvem as fases de chegada à fronteira, acolhida nos abrigos e interiorização, incluindo as viagens de Roraima para outros Estados e a adaptação dessas pessoas às comunidades locais.

A resposta humanitária aos refugiados e migrantes no Brasil é feita por meio da Operação Acolhida, que reúne as Forças Armadas, ministérios, agências do Sistema ONU no Brasil e entidades da sociedade civil organizada. //

Reportagem, Pamela Santos