Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2017 > Setembro > Exército e Aeronáutica estão com chamadas públicas abertas para aquisição de alimentos

Exército e Aeronáutica estão com chamadas públicas abertas para aquisição de alimentos

publicado  em 22/09/2017 18h00
Agência MDS - Release Radio - 25/01/2017

 

LOC: O Exército e a Aeronáutica vão investir mais de quatro milhões de reais na compra de alimentos produzidos pela agricultura familiar./ As oportunidades de negócio são para os pequenos produtores de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul./ As chamadas públicas integram a modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social./ O agricultor Alisson Correa de Jesus, que produz hortaliças, frutas e verduras no interior de Alegrete, no Rio Grande do Sul, enviou proposta e aguarda pelo resultado./ Segundo ele, este programa garante renda e preço justo aos pequenos agricultores./

SONORA:  Alisson

LOC: O Grupamento de Apoio da Aeronáutica, em Anápolis, Goiás, vai destinar quatro milhões de reais para a compra de produtos dos pequenos agricultores./ No Mato Grosso do Sul, o Grupamento  de Apoio da Aeronáutica de Campo Grande está destinando 84 mil reais para a compra de alimentos./ A coordenadora-geral  de Aquisição e Distribuição de Alimentos do Ministério do Desenvolvimento Social, Hetel Santos, afirma que o governo está trabalhando para ampliar o número de órgãos que compram diretamente dos agricultores familiares./Todos os itens serão utilizados no rancho dos militares.  O Décimo Batalhão de Infantaria de Montanha do Exército, em Minas Gerais,  também está com processo de compras aberto para adquirir  frutas, legumes, carnes, feijão e arroz./ O investimento será de 49 mil e 400 reais./

SONORA: Hetel Santos

LOC: No Rio Grande do Sul, o Décimo Nono Batalhão de Infantaria Motorizado, na cidade de São Leopoldo, vai investir 25 mil e 600 reais na compra de frutas, verduras, legumes, queijo e mel. Adquirir alimentos frescos e de boa qualidade produzidos no Estado, além de contribuir para o desenvolvimento regional, são os aspectos mais importantes na opinião do segundo tenente Elvio Cassimiro Doss, responsável pelo setor de compras./

SONORA: Elvio Cassimiro Doss

LOC: Cada agricultor familiar poderá vender até o limite de 20 mil reais, por ano, para cada órgão comprador. Já para as cooperativas ou associações, o limite é de seis milhões de reais por ano, por órgão comprador. Todas as chamadas públicas abertas no país estão no portal www.comprasagriculturafamiliar.gov.br./

Reportagem: Roberto Rodrigues