Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2017 > Março > Dia Mundial da Água: Famílias têm mais qualidade de vida com a entrega de cisternas

Dia Mundial da Água: Famílias têm mais qualidade de vida com a entrega de cisternas

publicado  em 22/03/2017 11h00

Documento sem título


 

LOC: A cearense de Quixeramobim, Sônia Cavalcante, de 37 anos, dá valor pra cada gota d’agua que consegue armazenar na cisterna de 16 mil litros que ela recebeu do governo federal em janeiro. O reservatório ao lado de casa significa que ela não vai precisar mais caminhar três quilômetros todos os dias para conseguir água para beber e cozinhar. Quem já sofreu como ela não admite desperdício.

TEC SONORA SONIA CAVALCANTE

LOC: Para o sertanejo José Océlio Almeida, de 54 anos, acostumado a plantar e a nem sempre colher, a cisterna trouxe qualidade de vida e segurança. Com as chuvas que já caíram no Ceará, ele conseguiu encher o reservatório com capacidade para 52 mil litros. Ele conta que a produção aumentou e a alimentação da família está melhor. Agora, o sonho é garantir renda com a venda da produção.

TEC SONORA JOSÉ OCÉLIO

LOC: Neste Dia Mundial da Água, celebrado nesta quarta-feira, famílias como a da dona Sônia e como a do seu José celebram a melhoria de vida que conquistaram com o acesso à água de qualidade. As duas cisternas foram construídas com dinheiro do repasse de 755 milhões de reais feito pelo governo federal para a construção de 133 mil cisternas, açudes e outras tecnologias de armazenamento de água no Semiárido, na região Amazônica e no Sul do país.

O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, destacou que o investimento é uma resposta do governo federal ao sofrimento dos brasileiros que convivem com os efeitos da falta d’água.

TEC SONORA MINISTRO

LOC: Os recursos investidos vieram das multas sobre a repatriação de dinheiro que brasileiros mantinham sem declaração no exterior, da reativação de convênios com o ministério e do orçamento do governo federal.

O investimento também vai garantir que todas as escolas públicas rurais do sertão tenham uma cisterna. Até então, era comum as aulas serem suspensas por falta d’água. Serão construídas mais de 7 mil unidades, garantindo que a educação das crianças não pare. Ao todo, 759 municípios vão receber os recursos, assegurando o abastecimento para mais de 1 milhão de pessoas.

Reportagem, André Luiz Gomes