Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2017 > Maio > Conselho Nacional de Assistência Social aprova expansão do Criança Feliz

Conselho Nacional de Assistência Social aprova expansão do Criança Feliz

publicado  em 18/05/2017 18h00
Conselho Nacional de Assistência Social aprova expansão do Criança Feliz


 

LOC: O Programa Criança Feliz vai ser ampliado./ A reabertura do processo de adesão dos municípios foi aprovada pelo Conselho Nacional de Assistência Social, nesta quinta-feira, em Brasília./ A decisão autoriza o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário a aceitar a participação de novas cidades que haviam ficado de fora da primeira etapa de adesão./ O processo será gradual e deverá atender à disponibilidade orçamentária./ 2.547 cidades já aderiram e estão em fase de implementação do programa./ O Criança Feliz vai orientar as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos./ A ciência demonstra que o período que vai da gestação até os três anos de idade é o mais importante para o desenvolvimento humano./ Crianças bem cuidadas nesta fase são mais inteligentes, chegam à escola com melhores condições de aprendizado, estudam mais, são menos violentas e têm mais chances de vencer a pobreza./ A diretora de Proteção Social Básica do ministério, Renata Ferreira, destaca que a decisão do conselho significa a universalização do Criança Feliz./

TEC SONORA - Renata Ferreira

LOC: O município de Pelotas, um dos maiores do Rio Grande do Sul, havia ficado de fora da primeira etapa de adesão./ O município já realiza atendimento domiciliar de atenção à primeira infância com um programa estadual, mas o secretário municipal de assistência social, Luiz Eduardo Longaray, destaca que a adesão ao Criança Feliz vai possibilitar a ampliação do atendimento às famílias mais pobres./

TEC SONORA - Luiz Eduardo Longaray

LOC: O Conselho Nacional de Assistência Social, CNAS, é o órgão responsável pela deliberação, normatização das ações e regulamentação de programas e da prestação de serviços da assistência social no país./

Reportagem, Roberto Rodrigues