Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2017 > Maio > Benefícios do INSS voltam a ser revisados na gestão Temer

Benefícios do INSS voltam a ser revisados na gestão Temer

publicado  em 17/05/2017 15h13
Benefícios do INSS voltam a ser revisados na gestão Temer


 

LOC: O processo de revisão dos benefícios de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez marca o aprimoramento da gestão dos benefícios sociais pagos pelo INSS./ Neste primeiro ano de governo, o pente-fino é mais uma ação do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário com o objetivo de destinar recursos públicos para quem realmente precisa./ Até agora, já foram economizados 2 bilhões de reais./ É dinheiro que volta para o Fundo de Previdência Social e beneficia quem sofre um acidente, pessoas que não podem trabalhar por causa de alguma doença ou invalidez./ 1 milhão e 700 mil pessoas deverão passar pela revisão./

O médico-perito Flawber Cruz é um dos responsáveis pelos exames em Campina Grande, na Paraíba./ Ele conta que a maior parte das perícias está mostrando que as pessoas já estão aptas para retornar ao trabalho./ Há casos curiosos que evidenciam a falta de controle que havia no pagamento do benefício, como o do trabalhador que recebia auxílio-doença há oito anos, depois de conseguir o benefício na Justiça, mas não sabia a doença que possuía./ Ele havia alegado que sentia um cansaço quando trabalhava no sol./ Para o médico, este é um dos exemplos de pagamento indevido.

TEC SONORA - MÉDICO

LOC:As revisões periódicas são obrigatórias, mas não estavam sendo realizadas pelo governo anterior.

O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, destaca a iniciativa do governo federal para evitar desperdícios com os recursos públicos e para destiná-los a quem realmente precisa.

TEC SONORA MINISTRO OSMAR TERRA

LOC: LOC: O INSS está convocando para avaliação médica todos os beneficiários que recebem o auxílio-doença e a aposentadoria por invalidez, que estão há mais de dois anos sem revisão./ No caso da aposentadoria por invalidez, serão chamados apenas aqueles que têm menos de 60 anos.

A estimativa do governo federal é que as revisões do auxílio-doença e da aposentadoria por invalidez gerem uma economia de 10 bilhões de reais para os cofres públicos.

Reportagem, André Luiz Gomes