Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2017 > Fevereiro > Governo federal zera lista de espera do Bolsa Família em janeiro

Governo federal zera lista de espera do Bolsa Família em janeiro

publicado  em 01/02/2017 00h00

Loc: O governo federal zerou a fila de espera do Bolsa Família. / Em janeiro, foram incluídas no programa todas as 460 mil pessoas pobres e extremamente pobres que estavam no Cadastro Único e aguardavam uma vaga para começar a receber o benefício./ Isso é resultado do esforço de gestão realizado para destinar o benefício a quem realmente precisa./ A partir de um cruzamento de dados com diversas bases de informações, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário vem conseguindo identificar pessoas que recebiam indevidamente o Bolsa Família./ Em novembro do ano passado, foi constatado que mais de 1 milhão e 100 mil beneficiários em todo o país  não estavam mais dentro dos requisitos do programa./ A maioria tinha renda superior à declarada no Cadastro Único. / O processo de cruzamento de dados será permanente./ Segundo o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, a medida faz parte do aperfeiçoamento realizado para fortalecer o programa e garantir que o benefício seja pago a quem necessita.//

Sonora: Osmar Terra – ministro do Desenvolvimento Social e Agrário

Loc: Novas bases de dados, como informações fornecidas pela Receita Federal, deverão integrar o pente-fino do Bolsa Família./ Este processo permanente de gestão e batimentos permitiu, por exemplo, a identificação e cancelamento do benefício de 1.570 vereadores, prefeitos e vice-prefeitos eleitos em 2016./ A ação é resultado de um convênio firmado com o Tribunal Superior Eleitoral./ O ministro Osmar Terra destaca a importância de aumentar o controle do gasto público.//

Sonora: Osmar Terra – ministro do Desenvolvimento Social e Agrário

Loc: O Bolsa Família é destinado a famílias extremamente pobres, que tem renda por pessoa de até 85 reais, e famílias pobres, em que a renda individual não ultrapassa 170 reais./ Atualmente, 13 milhões e 560 mil famílias recebem o benefício, o que equivale a mais de 50 milhões de brasileiros.//

De Brasília, Carolina Graziadei