Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2017 > Dezembro > Governo federal aperfeiçoa Programa de Fomento às Atividades Rurais

Governo federal aperfeiçoa Programa de Fomento às Atividades Rurais

publicado  em 08/12/2017 17h40
Agência MDS - Release Radio - 7/12/2017 - Governo federal aperfeiçoa Programa de Fomento às Atividades Rurais

 

LOC: Elissandra Melo Barros, de 30 anos, mora na zona rural do município de São José da Tapera, em Alagoas. Desde o início deste ano, por meio do Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais, recebeu assistência técnica e um apoio do governo federal, em dinheiro, para investir na criação de galinhas. O aviário já está sendo construído e, na visão dela, a vida só vai melhorar.

SONORA AGRICULTORA ELISSANDRA MELO

LOC: Elissandra é uma das 40 mil famílias já atendidas pelo Programa de Fomento às Atividades Rurais durante o governo do presidente Michel Temer.

Para aperfeiçoar os mecanismos de inclusão social e produtiva das famílias mais pobres no campo, o governo federal publicou, nesta quinta-feira, um decreto com novas regras para o programa. A partir de agora, o Ministério do Desenvolvimento Social pode também firmar parcerias com órgãos e entidades públicas e privadas para desenvolver as ações do programa.

As regras ampliam também o público-alvo: agora, podem ser beneficiárias do Fomento as famílias mais pobres residentes no meio rural.

De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, o decreto publicado pelo presidente Michel Temer tem o objetivo dar oportunidades de melhoria de vida para aqueles que mais precisam.

SONORA MINISTRO OSMAR TERRA

LOC: O decreto diz ainda que o programa pode ser integrado com as iniciativas de oferta de água para produção, o que permitirá o acesso simultâneo à água, à assistência técnica e aos recursos para os projetos produtivos.

O Programa de Fomento repassa recursos no valor de até 2 mil e 400 reais por família em situação de extrema pobreza ou até 3 mil reais por família, em situação de pobreza e de extrema pobreza na região do Semiárido, que já tenha tecnologia social para armazenamento de água para produção.

A meta do governo federal é incluir outras 40 mil famílias até 2018, com investimento de mais de 80 milhões de reais.

Reportagem, André Luiz Gomes