Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2017 > Agosto > Forças no Esporte oferece alimentação saudável para crianças carentes e fortalece a agricultura familiar

Forças no Esporte oferece alimentação saudável para crianças carentes e fortalece a agricultura familiar

publicado  em 03/08/2017 19h17
Agência MDS - Release Radio - 03/08/2017 - Forças no Esporte oferece alimentação saudável para crianças carentes e fortalece a agricultura familiar

 

LOC: Oferecer uma alimentação saudável, reforço escolar e atividades esportivas para crianças e jovens carentes e ainda gerar renda para agricultores familiares./ Tudo em um único programa./ É isso que faz o Forças no Esporte, programa coordenado pelo Ministério da Defesa que mantém a garotada longe das ruas, oferecendo atividades esportivas e reforço escolar no turno contrário ao da escola./ Todas as atividades são desenvolvidas em unidades das Forças Armadas./ Para ter energia, a garotada também recebe duas refeições por dia./ A comida é feita com produtos comprados de agricultores familiares, por meio da modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos, o que garante uma alimentação saudável para a molecada e renda para os pequenos produtores./ Todas essas iniciativas são possíveis graças a uma parceria entre os ministérios da Defesa, do Desenvolvimento Social e do Esporte./ 22 mil crianças são atendidas em todo o Brasil./

Para discutir as ações do programa, o Ministério da Defesa reuniu, nesta quinta-feira, em Brasília, 164 comandantes de unidades militares que já desenvolvem a iniciativa./ O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, e o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, Caio Rocha, participaram do evento, destacando o investimento de 33 milhões de reais para garantir a compra dos alimentos para a garotada.

Para o secretário-executivo Alberto Beltrame, o Forças no Esporte reforça o compromisso do governo em estimular o trabalho do homem no campo e de oferecer uma alimentação saudável para a população.//

Sonora Alberto Beltrame – secretário-executivo Ministério do Desenvolvimento Social


LOC: : A coordenadora-geral de Aquisição e Distribuição de Alimentos do Ministério do Desenvolvimento Social, Hetel Santos, disse que o evento proporcionou a aproximação dos agricultores familiares e órgãos compradores, o que irá facilitar ainda mais a relação de compra e venda entre eles.//

Sonora Hetel Santos - coordenadora-geral de Aquisição e Distribuição de Alimentos


LOC: O secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, brigadeiro Ricardo Machado, destaca que o trabalho em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social é fundamental, pois complementa as ações de educação e esporte oferecidas pelo programa.//

Sonora brigadeiro Ricardo Machado - secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa


LOC: O estudante Iuri Gonçalves participa do Forças no Esporte. O adolescente de 13 anos, que pratica atletismo, diz que o programa é um incentivo para que os jovens tenham um futuro melhor.//

Sonora Iuri Gonçalves – estudante


LOC:A representante da União das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária, Unicafes, Paula Rodrigues Ansarah, diz que é gratificante saber que, além dos produtos que são vendidos pelas 700 cooperativas associadas serem de qualidade, muitas das crianças que consomem os alimentos também vieram do campo.//



Sonora Paula Rodrigues Ansarah – representante Unicafes


LOC: Órgãos públicos espalhados por todo o país adquiriram mais de 58 milhões de reais em produtos da agricultura familiar somente nos primeiros seis meses de 2017./ A modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos estimula a compra de alimentos de pequenos produtores locais./ A legislação determina que pelo menos 30 por cento dos alimentos adquiridos para abastecer órgãos públicos venham da agricultura familiar./ Na modalidade, cada agricultor pode vender até 20 mil reais por ano para cada órgão comprador./ Já as cooperativas ou associações têm o limite de seis milhões de reais por ano para cada órgão.//

Reportagem, Carolina Graziadei