Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2016 > Setembro > Cadastro Único: ferramenta para garantir direitos e serviços para a população mais pobre

Cadastro Único: ferramenta para garantir direitos e serviços para a população mais pobre

publicado  em 22/09/2016 00h00

LOC: O Bolsa Família todo mundo conhece, mas o que nem todos sabem é que pra ter acesso a ele é preciso antes se inscrever no Cadastro Único./ E não é só pro Bolsa que o Cadastro serve, ele é a porta de entrada para pelo menos 20 programas sociais que atendem a toda a família, desde o recém-nascido até o idoso./ Minha Casa Minha Vida, carteira do idoso, aposentadoria para pessoas de baixa renda, reforma agrária... estes são apenas alguns dos programas do governo federal que usam o Cadastro Único para selecionar os beneficiários./ Atualmente, mais de 27 milhões de famílias estão inscritas, é quase 40 por cento da população brasileira./ Ah, não é só o governo federal que usa essas informações, os governos estaduais e as prefeituras também se baseiam no Cadastro para oferecer programas sociais à população./ Podem se inscrever famílias de baixa renda, que ganham até meio salário mínimo por pessoa, ou com renda mensal de, no máximo, 3 salários mínimos./

 Para fazer parte, o cidadão deve procurar a prefeitura ou o Centro de Referência de Assistência Social, o Cras, mais próximo./ O responsável pela família precisa levar o CPF ou título de eleitor e um documento de cada pessoa de sua família, como a carteira de identidade, a certidão de nascimento ou casamento, a carteira de trabalho, o CPF ou o título de eleitor, para identificar todos os membros./ Comprovantes de residência e de matrícula das crianças na escola não são obrigatórios, mas se a família puder levar, ajudam a preencher as informações na hora da entrevista./ A coordenadora de Gestão substituta do Departamento de Cadastro Único do Mistério do Desenvolvimento Social e Agrário, Bruna Bastos, dá mais informações:

SONORA

LOC: A garçonete Cátia Rejane Sousa Silva, de 38 anos, é mãe de três filhos./ Moradora do Distrito Federal, ela recebe o Bolsa Família há quase 4 anos./ Cátia considera que o Cadastro Único faz o cidadão ser visto pelo poder público, garantindo que as pessoas tenham acesso aos seus direitos./

SONORA

LOC: Foi através do Cadastro Único que o agricultor familiar Gaspar Araújo, de 44 anos, teve acesso à programas que mudaram a vida dele./ Morador de Planaltina, no Distrito Federal, Gaspar recebeu assistência técnica, orientação e dinheiro que ajudaram a melhorar a produção./ Antes, ele só plantava o que a família consumia./ Hoje, os produtos são vendidos na feira e até para o governo, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos./

 SONORA

LOC: É muito importante que o cidadão mantenha as informações do Cadastro Único sempre atualizadas./ Se houve mudança de endereço, de renda, se os filhos trocaram de escola, tudo precisa ser informado./ Para outras informações, você pode procurar o CRAS mais próximo./

De Brasília, Roberto Rodrigues