Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2016 > Outubro > INSS firma parceria para desenvolver políticas de reabilitação de pessoas afastadas do trabalho

INSS firma parceria para desenvolver políticas de reabilitação de pessoas afastadas do trabalho

publicado  em 06/10/2016 00h00

REP: Melhorar as oportunidades de reabilitação profissional dos trabalhadores afastados que recebem o benefício de auxílio-doença, do Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS. Este é o objetivo da parceria assinada entre o INSS e a Federação das Indústrias de São Paulo, a Fiesp, nesta quinta-feira. O governo federal vai apoiar iniciativas locais e pretende desenvolver políticas voltadas para a capacitação e reabilitação das pessoas afastadas do mercado de trabalho.

Dados do INSS revelam que, por ano, cerca de 500 mil pessoas são afastadas do trabalho por tempo indeterminado. Dessas, somente 50 mil têm acesso à reabilitação profissional.

De acordo com o presidente do INSS, Leonardo Gadelha, todos são beneficiados com o desenvolvimento de qualificação e reabilitação profissional.

TEC SONORA LEONARDO GADELHA
A reabilitação profissional é um esforço institucional que traz ganho para todos. Traz ganhos para o Instituto, que deixa de ter um custo e passa a ter uma pessoa recuperada no seio da sociedade produzindo e, portanto, contribuindo. Ele traz um ganho para o indivíduo, que gosta de se sentir útil, gosta de produzir. Do ponto de vista do aprimoramento pessoal, do desenvolvimento, é muito importante estar ocupado no mercado de trabalho. Portanto, a gente empodera este indivíduo, empodera este cidadão. E a gente também traz um ganho para o setor produtivo que contará com pessoas mais motivadas e mais qualificadas. Porque quando ele passa por esse processo de reabilitação, as estatísticas indicam que ele tem uma produtividade ainda maior do que as pessoas que não deixaram o mercado de trabalho em nenhum instante.

REP: Um acordo semelhante ao assinado com a Fiesp, foi assinado com a Federação das Indústrias de Santa Catarina.

A expectativa do INSS é que ações de reabilitação como essas possam recuperar as pessoas em um prazo menor.

 De Brasília, André Luiz Gomes.

registrado em: ,