Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2016 > Outubro > Agricultores familiares recebem mais de R$13,2 milhões do Programa de Aquisição de Alimentos

Agricultores familiares recebem mais de R$13,2 milhões do Programa de Aquisição de Alimentos

publicado  em 27/10/2016 00h00

REP: O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário repassou, nesta semana, mais de 13 milhões e 200 mil reais para agricultores familiares que fornecem para o Programa de Aquisição de Alimentos. / No total, mais de 8 mil e 500 famílias comercializaram alimentos por meio da modalidade Compra com Doação Simultânea./ Nesta modalidade, os alimentos são distribuídos às entidades da rede de assistência social, a creches, escolas e asilos, além de restaurantes populares e cozinhas comunitárias./ 

SONORA DANILO BARBOSA MENDONÇA – coordenador do Programa de Aquisição de Alimentos do MDSA
“Além disso tudo, existe uma relação muito bonita no programa que é que o agricultor que está lá na colheita ele pode ver o seu próprio filho que vai na escola da mesma região consumir aqueles produtos que o próprio pai produz. Então, isso tudo gera uma relação não só econômica, mas também de valorização e de identidade da região onde a gente pode verificar que a criança passa a valorizar o trabalho do pai. Fora a questão do combate à pobreza extrema no campo, que é uma das grandes dificuldades que a gente tem de erradicar também, então eu acho que o programa tem uma linha de ação bem completa.” 

REP: A família do agricultor Felipe Martins tira o sustento do campo há três gerações./ Em Ibiúna, lá no interior de São Paulo, o jovem de 26 anos trabalha com o pai e as irmãs produzindo legumes e verduras que abastecem creches e escolas do município./ Com os mil reais que a família recebe por mês do programa, Felipe conta que a vida melhorou depois que eles passaram a participar do PAA.// 

SONORA FELIPE MARTINS - agricultor
“É uma ajuda e tanto. A gente “ajuda e recebe ajuda”, porque o preço é bom , é melhor do que vender na roça. É uma satisfação de saber que o nosso produto está sendo valorizado por pessoas que irão saber aproveitar da melhor forma que também estão aproveitando uma oportunidade, pra gente, além de ter um lucro melhor, é uma satisfação, é uma honra poder trabalhar desta forma. Enquanto tiver o PAA a gente vai tá participando nesta parceria.” 

REP: E para quem recebe os alimentos frescos e saudáveis, a satisfação é ainda maior./ Em Joaçaba, município de Santa Catarina, a creche Tempo de Aprender atende 150 crianças entre 4 meses a 3 anos e 11 meses de idade. / Antes do PAA, os alimentos eram comprados nos grandes centros. / Agora, frutas e legumes típicos da região chegam mais frescos e sem agrotóxicos e o melhor: são entregues pelas mãos do próprio produtor./ De acordo com a diretora da creche, Clarisse Peccin, houve uma melhora significativa na qualidade da alimentação das crianças./ 

TEC SONORA CLARISSE MARIA PECCIN – diretora creche Tempo de Aprender
“Melhorou a qualidade da alimentação deles, isso sim porque são alimentos produzidos pela agricultura familiar, né. São alimentos que assim, tem melhor qualidade do que aqueles que vêm das agroindústrias, são alimentos bons pra alimentação, pra merenda das crianças. A gente sabe que a quantidade de agrotóxicos que é usado na lavoura é bem menor do que nas grandes propriedades, então são alimentos mais saudáveis. Então a gente sabe que quando vem do pequeno produtor é usado menos química na terra quando vem das grandes plantações.” 

REP: A Compra com Doação Simultânea é uma das modalidades do Programa de Aquisição de Alimentos que é executada pelos estados e municípios parceiros. / O pagamento é feito todo mês em uma conta direta do produtor e cada família pode vender até 6 mil e quinhentos reais por ano nesta modalidade. // 

De Brasília, Carolina Graziadei