Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2016 > Novembro > No RS, ministro Osmar Terra discute a adesão do estado e municípios ao Programa Criança Feliz

No RS, ministro Osmar Terra discute a adesão do estado e municípios ao Programa Criança Feliz

publicado  em 25/11/2016 00h00

LOC: 
O ministro Osmar Terra esteve no Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira, para tratar da adesão do estado e dos municípios gaúchos ao Programa Criança Feliz./ O estado é pioneiro no acompanhamento de crianças com o Programa Primeira Infância Melhor./ A partir da adesão, o governo federal fará o repasse de recursos para a contratação de profissionais que serão responsáveis pela visitação, acompanhamento e estimulação das crianças, principalmente os filhos de beneficiários do Bolsa Família./ O secretário de saúde do Rio Grande do Sul, João Gabbardo dos Reis, garantiu que o estado vai aderir ao programa.// 

Sonora: João Gabbardo dos Reis – secretário de saúde do Rio Grande do Sul 
“Nós vamos aderir porque também isso vai ser um reforço nos recursos que as prefeituras irão receber pra poder contratar essas pessoas, investir neste programa. Com isso, dá melhores condições pra tirar dessa situação de extrema pobreza essas famílias que têm crianças cadastradas ou nessa faixa de idade até mil dias de vida.” 

LOC: 
Em São Sebastião do Caí, no interior do estado, o ministro Osmar Terra apresentou o programa Criança Feliz para prefeitos e vereadores eleitos da região./ Terra destacou que os municípios terão papel central na execução do programa.// 

Sonora: Osmar Terra – ministro do Desenvolvimento Social e Agrário 
“O Rio Grande do Sul como é o estado que tem a maior estrutura de atendimento á crianças com visitação domiciliar no Brasil, ele tem uma história, já tem muita gente com o conhecimento de como trabalhar isso, nossa ideia é aplicar um protocolo que nós estamos elaborando no programa Criança Feliz para que os visitadores que trabalhem com as famílias do Bolsa Família no Rio Grande do Sul possam seguir essa orientação. Mas a ideia é que o Rio Grande do Sul possa ser o estado que mais rapidamente coloque em prática o Criança Feliz, porque já tem uma estrutura muito boa. O Rio Grande do Sul tem 60 mil crianças acompanhadas em casa toda semana, atrás disso tem uma estrutura grande, são milhares de visitadores já, então no município vai ter gente do PIM, que é o programa do estado atendendo famílias fora do Bolsa Família e aquelas do Bolsa Família serão atendidas pelo Criança Feliz com recursos federais.” 

LOC: 
O ministro Osmar Terra também encontrou o doutor Joseph Murray, professor da Universidade Federal de Pelotas./ Especialista em criminologia, o britânico é um dos coordenadores de uma pesquisa que acompanha mais de 5 mil crianças desde o nascimento até a vida adulta./ O estudo conduzido por ele analisa os efeitos da violência sofrida na infância e o impacto no futuro das pessoas./ Segundo o doutor Joseph Murray, ações como as propostas pelo programa Criança Feliz ajudam a diminuir a pobreza e a violência.// 

Sonora: Joseph Murray – doutor especialista em criminologia 
“Se a criança não recebe o apoio necessário desde o início, não tem as condições para chegar na escola, se comportar bem para aprender bem que vai prevenir problemas futuramente. Então, qualquer programa no início da vida que ajuda a criança com as capacidades dela, cognitivas, sociais, aí nós podemos esperar bem resultados no futuro para o comportamento melhor também na sociedade. 

LOC 
O programa Criança Feliz vai estimular o desenvolvimento das crianças desde a gestação./ Os filhos de beneficiários do Bolsa Família serão acompanhados até os três anos de idade, já nas famílias que recebem o Benefício de Prestação Continuada o atendimento será até os seis anos./ Profissionais treinados visitarão periodicamente as famílias para mostrar aos pais a melhor maneira de estimular o desenvolvimento dos filhos./ A meta do programa é atender, até 2018, cerca de 4 milhões de crianças./ 

De Brasília, Rodrigo Saccone