Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Rádio > 2016 > Novembro > Hospital do Exército, em Alegrete (RS), tem chamada para a compra de R$ 114 mil em alimentos da agricultura familiar

Hospital do Exército, em Alegrete (RS), tem chamada para a compra de R$ 114 mil em alimentos da agricultura familiar

publicado  em 01/11/2016 00h00

REP: Os agricultores familiares do Rio Grande do Sul têm mais uma oportunidade de negócio./ O Exército Brasileiro está comprando alimentos no estado./ O Hospital de Guarnição, em Alegrete, abriu uma chamada pública para adquirir mais de 20 toneladas por meio da modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). No total, a unidade deve investir 114 mil reais na aquisição de frutas, verduras, hortaliças e legumes.

Os agricultores familiares têm até 14 de novembro para entregar as propostas na sede da unidade, que fica no centro de Alegrete./ Podem participar da chamada pública organizações, associações e agricultores familiares que possuam Declaração de Aptidão ao Pronaf , a DAP. Cada agricultor familiar poderá vender até R$ 20 mil.

Pedro Morais dos Santos, 38 anos, é presidente da Associação de Agricultores Familiares de Alegrete (RS)./ Ele conta que o anúncio da chamada pública encheu de ânimo os produtores locais./ Pedro atualmente produz hortaliças e temperos para vender nos mercados da cidade, na feira e para as escolas do município. Para o agricultor, a melhor parte do programa é o preço justo ofertado pelos produtos./

TEC SONORA PEDRO MORAIS
“Está se abrindo um mercado garantido. No meu caso, já vou produzir com a certeza de que na outra ponta estará o meu comprador esperando e isso me ajuda a me organizar mais. Você sabe quanto vai ganhar porque o preço não vai ficar oscilando, como é no mercado.

REP: A coordenadora geral de Aquisição e Distribuição de Alimentos do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Hétel dos Santos, destaca a importância da compra da agricultura familiar.

TEC SONORA HETEL DOS SANTOS
“É bom comprar da agricultura familiar porque fortalece a economia local. Além de gerar renda, o alimento que é ofertado ele é mais saudável, mais fresco porque não passa por todo um processo de cadeia longa de abastecimento e ele também é adaptado àquela região”.

REP: A legislação atual determina que órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta comprem ao menos 30% de gêneros alimentícios de agricultores familiares e suas organizações.

Para acessar todas as chamadas públicas de compra de produtos da agricultura familiar abertas pelo país, é só acessar o portal www.comprasagriculturafamiliar.gov.br.

De Brasília, André Luiz Gomes.