Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Setembro > Ministério da Cidadania apresenta Política Nacional sobre Drogas em congresso no RJ

Notícias

Ministério da Cidadania apresenta Política Nacional sobre Drogas em congresso no RJ

PREVENÇÃO

Em palestra, ministro Osmar Terra enfatizou a criação do que chamou de primeira política sobre drogas da história brasileira, fortalecida pela nova Lei de Drogas
publicado  em 12/09/2019 18h57
Foto: Mauro Vieira

A Política Nacional sobre Drogas e os esforços do governo federal no enfrentamento ao problema foram temas centrais da abertura do 25° Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead), realizado nesta quinta-feira (12), no Rio de Janeiro. O ministro da Cidadania, Osmar Terra, foi um dos palestrantes do evento. Ele enfatizou a criação do que chamou de primeira política sobre drogas da história brasileira, fortalecida pela nova Lei de Drogas.

“A lei aumenta o rigor contra as drogas e nós estamos fazendo uma política articulada com os ministérios da Saúde, da Educação, da Justiça e Segurança Pública e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos”, informou Terra. “É um projeto integrado, no qual o Ministério da Cidadania tem a função de articular os esforços de prevenção e de acolhimento dos dependentes químicos”, completou.

Médico psiquiatra membro titular da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina e membro do conselho consultivo da Abead, Sérgio de Paula Ramos saudou a presença do Ministério da Cidadania nas discussões realizadas no evento. “O problema de drogas no Brasil vem se agravando década após década, mas é a primeira vez que eu vejo um governo com um posicionamento muito claro de fazer frente a esse problema, com uma Política Nacional de Drogas coesa e bem orientada”, destacou. “Se estamos por um lado preocupados com o problema em que se transformou a droga no país, por outro estamos aliviados em perceber que finalmente temos movimento no sentido de atuação governamental”, comentou.

Também presente à abertura do congresso, o secretário de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro Junior, ressaltou a importância de acompanhar o desenvolvimento de trabalhos científicos que ajudem a construir as políticas sobre drogas. “É fundamental a troca de experiências, ouvindo o que os acadêmicos, pesquisadores têm a dizer para que possamos nos valer disso. As ações do Ministério da Cidadania são pautadas pelas evidências científicas, nas melhores práticas disponíveis”, afirmou. “Estarmos neste evento é extremamente significativo na condução das nossas políticas públicas, com objetivo de ofertarmos cuidado de qualidade às pessoas já com dependência química e, também, para que possamos trabalhar na prevenção das pessoas que não apresentam problemas com drogas, sempre com o norteador científico”, disse.

Ministério da Cidadania apresenta Política Nacional sobre Drogas em congresso no RJ (12/9/2019)

O Congresso da Abead reúne, nesta edição, 750 profissionais de vários locais do Brasil. Para a presidente da associação e do congresso, Sabrina Presman, o evento proporciona troca de conhecimentos entre os profissionais da saúde e da educação, que trabalham com prevenção, tratamento e políticas públicas nas mais diversas temáticas sobre a dependência química. “Agrupamos as mais atuais evidências científicas para tornar esse assunto cada vez mais presente na prática profissional, para que essas pessoas tenham diretrizes a seguir. É uma construção de aprendizados, com diferentes olhares e contribuições para podermos trabalhar com essa doença que é complexa e multifatorial”, afirmou.

Política Nacional Sobre Drogas

A Política Nacional Sobre Drogas é desenvolvida em conjunto pelos ministérios da Cidadania, da Saúde, da Justiça e Segurança Pública e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. O Ministério da Cidadania é responsável pelo acolhimento e tratamento de dependentes químicos, com estratégia focada na abstinência dos usuários.

Além da nova política, a Lei de Drogas foi sancionada em junho deste ano. Com a nova legislação, as comunidades terapêuticas passaram a ser reconhecidas como parceiras do governo federal no acolhimento e tratamento de usuários de entorpecentes. Ações mais rígidas contra o tráfico de drogas e a internação involuntária de usuários para desintoxicação também estão previstas na lei.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412
(61) 2030-2649