Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Outubro > Ministério da Cidadania apoia iniciativa da Opas para redução do uso de álcool e suas consequências sociais

Notícias

Ministério da Cidadania apoia iniciativa da Opas para redução do uso de álcool e suas consequências sociais

Medidas buscam restringir o acesso e a publicidade de bebidas alcoólicas e aumentar o preço do produto por meio de impostos
publicado  em 07/10/2019 20h20
Foto: Clara Angeleas

Brasília/DF - O secretário nacional de Prevenção e Combate às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro, participou nesta segunda-feira (7) do lançamento da Iniciativa Safer, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que disponibiliza cinco estratégias de alto impacto para reduzir o uso nocivo do álcool e suas consequências sociais, econômicas e de saúde em âmbitos nacional, estadual e municipal. A iniciativa visa apoiar os governos na adoção de medidas práticas para acelerar o progresso na saúde pública, combater doenças crônicas não transmissíveis e alcançar metas de desenvolvimento sustentável.

A estratégia propõe ações como restrições à disponibilidade de álcool, novas medidas para quem dirigir sob efeito de álcool, mais facilidades para acesso a triagem, intervenções e tratamento, proibição ou restrições à publicidade de bebidas alcoólicas e aumento dos preços de bebidas por meio de impostos.

Segundo o secretário Quirino Cordeiro, os males causados pelo álcool não prejudicam apenas os usuários, mas também suas famílias e a sociedade. “Com o aumento recente no consumo de álcool, tivemos o agravamento de problemas como acidentes de trânsito, violência doméstica e, é claro, maiores gastos com saúde pública. Por isso, iniciativas como esta são fundamentais para combater o problema que é o abuso do álcool”, destacou.

Durante o evento, Quirino Cordeiro também falou sobre o trabalho que o Ministério da Cidadania vem realizado para combater o abuso do álcool e de outras drogas. “Temos trabalhado em conjunto com outros ministérios para combater o suicídio, que é uma doença intimamente ligada à dependência química. Além disso, temos trabalhado para fortalecer entidades de atendimento, tratamento e recuperação, como as comunidades terapêuticas”, comentou.

O Ministério da Cidadania oferece vagas gratuitas para desintoxicação e tratamento de dependentes químicos em comunidades terapêuticas de todo o Brasil. Atualmente, mais de 11 mil vagas são financiadas pelo governo federal, número três vezes maior do que no ano passado. Para saber mais sobre as políticas de combate a drogas, acesse mds.gov.br/assuntos/cuidados-e-prevencao-as-drogas.

Nova legislação

A Nova Lei de Drogas foi sancionada em junho deste ano pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Entre as modificações, estabelece ações mais rígidas contra o tráfico de drogas, prevê a internação involuntária de usuários para desintoxicação e reforça o trabalho das comunidades terapêuticas.

A Política Nacional Sobre Drogas é desenvolvida em conjunto pelos ministérios da Cidadania, da Saúde, da Justiça e Segurança Pública, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. A pasta da Cidadania é responsável pelo tratamento de dependentes químicos com foco na estratégia da abstinência dos usuários.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412