Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Outubro > Michelle Bolsonaro convida primeiras-damas a se juntarem ao Pátria Voluntária

Notícias

Michelle Bolsonaro convida primeiras-damas a se juntarem ao Pátria Voluntária

VOLUNTARIADO

No Palácio da Alvorada, a presidente do conselho do Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado promoveu o diálogo e destacou a importância do voluntariado para a inclusão social
publicado  em 22/10/2019 13h44
Foto: Carolina Antunes/PR

Brasília/DF – Uma rede de suporte e doação baseada em empatia e inclusão. O Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado - Pátria Voluntária nasce com o objetivo de estabelecer um diálogo sobre a promoção do voluntariado no País entre a sociedade e representantes de instituições governamentais e não-governamentais. Neste sentido, a presidente do Conselho Gestor do Pátria Voluntária, Michelle Bolsonaro, reuniu as primeiras-damas dos Estados brasileiros e do Distrito Federal para apresentar a iniciativa, além de reforçar o impacto positivo de ações voluntárias na vida de quem mais precisa. O ministro da Cidadania, Osmar Terra, acompanhou a atividade.

No encontro, realizado no Palácio da Alvorada, a presidente do conselho contou parte de sua trajetória de dedicação ao voluntariado e enfatizou que continuará atuando em defesa da causa. “Quero falar para os quatro cantos do mundo que acessibilidade e inclusão são muito importantes. O foco do nosso trabalho é trazer visibilidade a essas pessoas, que possuem os mesmos direitos que nós, e que são cidadãs, como nós”. Ao articular o diálogo político sobre temas estratégicos para a promoção do voluntariado no Brasil, o programa propõe projetos e iniciativas que estimulem o engajamento do setor público, do setor privado e das organizações da sociedade civil em práticas voluntárias. “Como presidente do conselho do programa Pátria Voluntária, convido todas a se juntarem conosco e multiplicarem em todo o País essa corrente de amor, empatia e inclusão", declarou Michelle Bolsonaro.

A primeira-dama de Roraima, Simone Soares, elogiou a atenção do governo federal para a inclusão social por meio do voluntariado, especialmente, no caso de pessoas com deficiência. “O trabalho voluntário é algo que tenho feito há alguns anos. Devemos sempre abranger as políticas públicas a essa população, para que as pessoas possam ser de fato reconhecidas na sociedade e terem seus direitos garantidos”, ponderou. Para a primeira-dama de Goiás, Gracinha Caiado, o Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado responde a uma necessidade da população. “É uma alegria ver esse programa. Quero ser parceira da primeira-dama Michelle Bolsonaro nesse trabalho. Doe seu tempo, doe seu talento, mas acima de qualquer coisa, doe amor”, afirmou.

Da mesma forma, a primeira-dama do Amazonas, Taiana Bezerra, elogiou a iniciativa. “Foi muito importante estar aqui, para que juntas pudéssemos conversar, estreitar laços e, assim, compartilhar os nossos projetos sociais dos nossos estados”, apontou. Mayara Noronha, primeira-dama do Distrito Federal, também demonstrou engajamento à causa: “Ser voluntário é você estender a sua mão. O Pátria Voluntária vem com o espírito de agregar os estados brasileiros, nessa grande junção que é o voluntariado. Excelente iniciativa”, frisou.

O que é voluntariado
“É uma “iniciativa não remunerada de pessoas físicas, isolada ou conjuntamente, prestada à pessoa física, a órgão ou à entidade da administração pública ou entidade privada sem fins lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência à pessoa, que vise ao benefício e à transformação da sociedade por meio de ações cívicas, de desenvolvimento sustentável, culturais, educacionais, científicas, recreativas, ambientais, de assistência à pessoa ou de promoção e defesa dos direitos humanos e dos animais.” (Art.2º do Decreto 9.906/2019)

Pátria Voluntária

O Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado, vinculado ao Ministério da Cidadania, tem por objetivo fomentar a prática do voluntariado como um ato de humanidade, cidadania e amor ao próximo; e estimular o crescimento do terceiro setor, contribuindo para a transformação do Brasil em um país mais justo e mais solidário. São finalidades do programa a promoção do voluntariado de forma articulada entre o governo, as organizações da sociedade civil e o setor privado; e o incentivo ao engajamento social e à participação cidadã em ações transformadoras da sociedade.

Criança Feliz

O encontro no Palácio da Alvorada foi realizado na terça-feira (8). Na oportunidade, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, também apresentou às primeiras-damas o Programa Criança Feliz. Coordenado pelo Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social, a ação promove o desenvolvimento adequado na primeira infância integrando ações nas áreas de cultura, desenvolvimento social, direitos humanos, educação, justiça e saúde. “O apoio do programa às famílias é decisivo para fazer com que as crianças tenham uma escolaridade maior e uma profissão bem remunerada no futuro. De Norte a Sul, o governo federal está cuidado dos primeiros anos de vida para construir um futuro melhor para todos”, destacou o ministro.

O programa é destinado a crianças de até três anos inseridas no Cadastro Único para programas sociais do governo federal e de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A experiência com o Criança Feliz rendeu ao programa o primeiro lugar no prestigiado prêmio da Cúpula Mundial de Inovação para a Educação, vinculado à Qatar Foundation. A premiação é uma das maiores do mundo e reconheceu a contribuição do Criança Feliz para lidar com os desafios globais da educação. O programa brasileiro de atenção à primeira infância competiu com mais de 480 projetos de vários países.

Por Renata Garcia

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412