Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Novembro > Ministério da Cidadania financia pesquisa sobre uso de drogas ilícitas em seis cidades

Notícias

Ministério da Cidadania financia pesquisa sobre uso de drogas ilícitas em seis cidades

ESTUDO SOBRE DROGAS

Parceria com Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), no valor de R$ 975 mil, resultará em estimativa do consumo de drogas por meio da análise de esgoto
publicado  em 28/11/2019 11h56
Foto: Divulgação

O Ministério da Cidadania irá investir em pesquisa sobre o consumo de drogas ilícitas no País. Pelos próximos dois anos, serão analisadas coletas de amostras de esgoto de seis cidades brasileiras. O objetivo é medir e mapear o uso de drogas como cocaína, crack, maconha e metanfetaminas para fortalecer ações de combate, tratamento e prevenção ao uso de drogas. Para dar andamento à pesquisa, o governo federal firmou um Termo de Execução Descentralizada (TED) com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), no valor de R$ 975 mil.

O secretário nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro Júnior, explica que a expectativa do governo federal com a pesquisa é ter uma ideia mais precisa do consumo. Além do Distrito Federal, as cinco cidades escolhidas para o estudo inicial são Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), São Carlos (SP), Campinas (SP) e Natal (RN). “A ideia é que diferentes regiões do País possam ser submetidas a esse estudo para que nós possamos ter uma avaliação mais precisa de como está o consumo de diferentes drogas nas diferentes regiões do país”, explicou.

A base do estudo está na identificação de substâncias secretadas pelo organismo de usuários de drogas. Isso porque quando uma pessoa consome uma droga, ela é metabolizada pelo organismo e excretada pela urina. Assim, a técnica utilizada na pesquisa irá medir a quantidade dessas substâncias que vai parar na rede de esgoto. No Brasil, o Distrito Federal tem sido a única região investigada nos últimos 10 anos. Um dos responsáveis, o pesquisador do Instituto de Química da Universidade de Brasília, Fernando Sodré, afirma que o recurso do Ministério da Cidadania permitirá a ampliação do trabalho e resultados nacionais mais precisos. “O aporte do Ministério da Cidadania vai dar a oportunidade de que esse trabalho ganhe proporções nacionais – uma vez que era realizado somente no Distrito Federal – e sirva de incentivo à manutenção da linha de pesquisa para os próximos anos”, considerou.

As estimativas de consumo serão calculadas e divulgadas na forma de boletins e publicações científicas a partir do segundo semestre de 2020. O secretário nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro Júnior, afirma que os dados vão contribuir com as ações do governo federal.

Prevenção e tratamento

A Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania é responsável por supervisionar e articular as atividades de prevenção do uso, a atenção, apoio, mútua ajuda e a reinserção social de usuários e de dependentes de drogas e as atividades de capacitação e treinamento dos agentes do Sistema Nacional de Políticas sobre Drogas. Além disso, cabe à secretaria apoiar as ações de cuidado e de tratamento de usuários e dependentes de drogas, em consonância com as políticas do Sistema Único de Saúde e do Sistema Único de Assistência Social.

*Por Diego Queijo


Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania
Informações para a imprensa:
(61) 2030-2266 / 2412
www.cidadania.gov.br/imprensa