Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Março > Primeiras-damas articulam atendimento a crianças na primeira infância

Notícias

Primeiras-damas articulam atendimento a crianças na primeira infância

DESENVOLVIMENTO INFANTIL

Onélia Santana, do Ceará, e Renata Calheiros, de Alagoas, compartilharam experiências de sensibilização e mobilização sobre o tema; Michelle Bolsonaro assistiu ao painel na plateia
publicado  em 13/03/2019 15h17

Brasília – Contribuir para a melhoria da qualidade de vida de crianças e para a formulação de políticas públicas que atendam às necessidades das famílias de baixa renda foram os pontos defendidos pelas primeiras-damas do Ceará, Onélia Santana, e de Alagoas, Renata Calheiros, no segundo dia do Seminário Internacional da Primeira Infância. Nesta quarta-feira (13), em Brasília, elas apresentaram as ações executadas em seus estados - em parceria com o Criança Feliz - que já rendem resultados positivos.

Onélia Santana apresentou o Mais Infância Ceará, criado há quatro anos com apoio de instituições públicas e privadas. A ação baseia-se em quatro pilares – tempo de nascer, de crescer, de brincar e de aprender. Neste período, alguns resultados - como a redução da mortalidade materna e o aumento na escolaridade das crianças - já puderam ser comprovados. Além disso, o Estado entregou 16 núcleos de atenção precoce a crianças diagnosticadas com microcefalia ou paralisia cerebral. As áreas contam com praças, brinquedos e espaços lúdicos. “São muitas ações, mas todas essas políticas ainda não são suficientes para atender as famílias em extrema vulnerabilidade”, ponderou a primeira-dama cearense.

O Criança Feliz faz parte da estratégia e está em 182 dos 184 municípios do Estado. No total, mais de 60 mil crianças e gestantes estão sendo atendidas no Ceará, com mais de um milhão de visitas domiciliares realizadas. “A primeira infância é muito importante. O papel da primeira-dama é buscar parceiros, estudar, sensibilizar gestores e o governador. A partir daí, as ações fluem com mais velocidade”, explicou Onélia, ao contar que o programa está entre as 10 prioridades do governo local. “A política não é minha. A política é do povo e por isso merece continuidade”, completou.

Já a primeira-dama de Alagoas, Renata Calheiros, apresentou o Criança Alagoana (Cria), que, de forma intersetorial, integra as áreas de saúde, educação e assistência social para promover o desenvolvimento integral das crianças até os seis anos. O Criança Feliz também faz parte da ação e hoje atende mais de 12 mil crianças em 98 dos 102 municípios alagoanos. “Essa integração é um esforço diário. A primeira-dama deve ser a pessoa inquieta no governo em relação à primeira infância. A gente tem o dever de não levar problema para o governador, devemos levar a solução. E estes programas irão ajudar no futuro em diversas áreas”, avaliou.

Renata lembrou que as taxas de mortalidade infantil, de mortalidade materna e de desnutrição crônica diminuíram depois que as ações do programa estadual foram iniciadas. “Primeiro, façam o básico. Olhem as políticas já existentes e façam com que elas funcionem. Com isso, já conseguimos resultados importantes para Alagoas”.

Leia mais notícias sobre o Seminário Internacional da Primeira Infância

Na plateia, a primeira-dama do Espírito Santo, Maria Virgínia Casagrande, disse que deseja apoiar a ampliação do Criança Feliz no Estado, que hoje conta com 22 municípios inseridos no programa. “Com a experiência aqui compartilhada, voltamos cheios de ideias para ajudar a alavancar a primeira infância no nosso Espírito Santo. A primeira-dama deixou de ter aquele papel assistencialista e agora deve se fazer mais presente para melhorar o atendimento à população”.

A deputada federal e membro da Frente Parlamentar da Primeira Infância Carmen Emília Bonfá Zanotto elogiou a mobilização das primeiras-damas. “Elas são as motivadoras de uma política que precisa ser inserida no dia a dia da vida pública. Temos que fazer com que todos percebam que, cada dia que passa sem a atenção adequada, é um dia a menos para as nossas crianças”, apontou a parlamentar, que teve o discurso reforçado pela deputada federal Paula Belmonte. “Não é gasto. É investimento. Se queremos um país mais desenvolvido, devemos investir nas nossas crianças e fazer com que elas possam sonhar com um futuro melhor”, acrescentou.

Segundo o secretário especial do Desenvolvimento Social, Lelo Coimbra, é necessário que as experiências de sucesso das primeiras-damas sejam compartilhadas também de forma regional. “Precisamos transferir este conteúdo para todos os estados para que tenhamos um desempenho do Criança Feliz ainda melhor e que as outras políticas de primeira infância sejam ampliadas”, defendeu.

Seminário Internacional da Primeira Infância
O Seminário Internacional da Primeira Infância – O Melhor Investimento para Desenvolver uma Nação é promovido pelo Ministério da Cidadania e acontece nestas terça (12) e quarta-feira (13), em Brasília. O evento reúne especialistas internacionais e brasileiros no tema primeira infância para avaliar as políticas públicas e provocar reflexões que qualifiquem e ampliem o atendimento a essa faixa etária no país.

Seminário Internacional da Primeira Infância– 12 e 13 /03/2019

Criança Feliz - O Ministério da Cidadania coordena o Criança Feliz por meio da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social. O programa integra ações nas áreas da saúde, assistência social, educação, justiça, cultura e direitos humanos. Nas visitas semanais, técnicos capacitados orientam sobre o desenvolvimento das crianças de até três anos beneficiárias do Bolsa Família e de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). As gestantes também recebem atendimento.

Até o momento, o programa está presente em 2.622 municípios brasileiros e já atendeu mais de 519 mil crianças e gestantes. No total, mais de 12,1 milhões de visitas domiciliares foram realizadas por cerca de 16 mil profissionais capacitados para orientar as famílias a impulsionar o desenvolvimento cognitivo, motor, socioafetivo e da linguagem das crianças.

*Por André Gomes

Informações sobre os programas do Ministério da Cidadania:
0800 707 2003

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-1505 / 9.9229-6773
www.mds.gov.br/area-de-imprensa