Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Março > Criança Feliz estimula protagonismo familiar e respeita diferenças culturais

Notícias

Criança Feliz estimula protagonismo familiar e respeita diferenças culturais

PRIMEIRA INFÂNCIA

Com mais de 12,1 milhões de visitas domiciliares, programa atende também comunidades tradicionais e aldeias pelo país
publicado  em 01/03/2019 17h58
Clarice Castro

Brasília - O Programa Criança Feliz, do Ministério da Cidadania, já realizou mais de 12,1 milhões de visitas domiciliares em todo o país. Todas as semanas, técnicos capacitados levam orientações de como impulsionar o desenvolvimento cognitivo, motor, socioafetivo e de linguagem das crianças de até três anos beneficiárias do Bolsa Família e aquelas de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).  

Faça sol ou chuva, um batalhão de mais de 13 mil visitadores vai até a casa das famílias, em quilombos e aldeias indígenas espalhados pelo Brasil. Uma das diretrizes da ação é respeitar as diferenças culturais e regionais para a família ser a protagonista no desenvolvimento das crianças.

É o que acontece na comunidade quilombola Passagem Comprida, em Bom Jesus (RN). Lá, quatro famílias do quilombo são acompanhadas pelo programa do governo federal. A supervisora do Criança Feliz no município, Roseana dos Santos Silva, explica como funciona o atendimento. “Estimulamos os pais para que contem as próprias histórias, repassem as cantigas e os costumes do povo, mostrando como eram as brincadeiras para valorizar a tradição”, relata.

Reaproximação – Em Santa Bárbara do Pará, a beneficiária do Bolsa Família Anny Kelly Bandeira, de 25 anos, recebe orientações de como cuidar melhor da pequena Isabely, de dois anos.  O programa serviu para que ela se reaproximasse do marido e dos filhos. “Para mim, o Criança Feliz é a participação da família. Eu brincava com as crianças, mas não como agora”, conta.

O secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, Lelo Coimbra, defende que toda a família deve estar envolvida no desenvolvimento da criança. “Os nossos visitadores, compreendendo o ambiente familiar, orientam como estimular as crianças, fazendo exercícios, provocações de sensibilidade, de força, visão e audição. É a mãe, a família, os pais, quem fazem essa atividade. Portanto, os pais são a principal personagem neste cuidado com a criança”, ressaltou.

Saiba Mais
O Ministério da Cidadania coordena as ações do Criança Feliz por meio da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social. A iniciativa integra as áreas de Saúde, Assistência Social, Educação, Justiça, Cultura e Direitos Humanos. Nas visitas semanais, técnicos capacitados orientam sobre o desenvolvimento das crianças de até três anos beneficiárias do Bolsa Família e de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). As gestantes também recebem atendimento. Em breve, o programa passará também a atender crianças de até três anos do Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal.

*Por André Luiz Gomes 

Informações sobre os programas do Ministério da Cidadania:
0800 707 2003

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa