Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Março > “O Criança Feliz irá impactar o Brasil e o mundo”, diz pesquisadora americana

Notícias

“O Criança Feliz irá impactar o Brasil e o mundo”, diz pesquisadora americana

SEMINÁRIO INTERNACIONAL DA PRIMEIRA INFÂNCIA

A diretora do Programa de Implante Coclear Pediátrico da Universidade de Chicago, Dana Landau, abriu o Seminário Internacional da Primeira Infância, em Brasília, nesta terça-feira (12)
publicado  em 12/03/2019 15h06
Foto: Rafael Zart

Brasília – Estimular a interação e a comunicação entre os pais e filhos a partir das primeiras semanas de vida é fundamental para promover o desenvolvimento cognitivo das crianças. A ideia foi sustentada pela diretora do Programa de Implante Coclear Pediátrico da Universidade de Chicago, Dana Landau Suskind, em sua palestra de abertura do Seminário Internacional da Primeira Infância, nesta terça-feira (12), em Brasília. O evento é promovido pelo Ministério da Cidadania e reúne especialistas brasileiros e internacionais no tema do desenvolvimento infantil.

Sobre a atuação brasileira com o programa Criança Feliz - que atende gestantes e crianças de baixa renda - Dana ressaltou que o trabalho é uma grande ação governamental para o capital humano. “Essas crianças não serão apenas apoiadas, mas ouvidas. O Criança Feliz já atingiu meio milhão de pessoas e este é um arcabouço para conseguir as mudanças neste país. A ação vai impactar o Brasil e o mundo todo”.

Pesquisadora na área da neurociência e médica pediatra, Suskind disse que diversos estudos comprovam que a educação não começa na escola, mas no primeiro dia de vida. “Quando nascemos, a maior parte dos órgãos está formada, mas o nosso cérebro não. Ele sai subdesenvolvido e nos primeiros três anos de vida há um grande desenvolvimento. No entanto, existe uma verdade dolorosa: se você não tem um bom ambiente linguístico, ele vai ser impactado negativamente e inibido”, revelou.

A pediatra tem um trabalho consistente com crianças surdas e realiza implantes cocleares – que consistem na colocação de dispositivos eletrônicos para a reabilitação da deficiência auditiva. Ela destacou que, com a audição retomada, a comunicação pode acontecer normalmente em casa. “As diferenças são percebidas não somente na quantidade de palavras que a criança aprende, mas também no QI e no futuro desempenho escolar. O nosso cérebro é altamente dependente da linguagem e faz diferença no resto da vida”.

Dana ainda revelou resultados do programa desenvolvido no Centro TMW para Aprendizagem Precoce e Saúde Pública da Universidade de Chicago, que acompanha famílias desde o início da vida. As evidências mostram que é necessário investir na saúde, educação e qualidade de vida dos pais para que os resultados sejam repassados para os filhos. “O nosso programa não é sobre a fala, mas sobre como essas crianças são criadas e preparadas para serem inteligentes”.

Dana também apresentou um resumo do atendimento na primeira infância com base no chamado “3t’s” (Tune in, Talk more, take turns, em inglês) -  que se trata de sintonia, conversa e revezamento de parceiros no diálogo com as crianças. “Todas as famílias precisam desta conscientização. O áudio é uma comida para o cérebro e precisamos saber disso logo no início. Muitas famílias não sabiam que poderiam iniciar matemática no primeiro mês da vida”, exemplificou. Com a implantação da metodologia, foi constatado um maior progresso do grupo que estava participando do programa em relação ao grupo que não era acompanhado.

Confira mais notícias sobre o Seminário Internacional da Primeira Infância

Repercussão - O ministro da Cidadania, que também é medico, assistiu à palestra e comentou que as abordagens reforçam que o programa Criança Feliz está no caminho correto. Segundo Osmar Terra, as informações apresentadas por Dana vão ao encontro da pauta social apresentada pela primeira-dama Michele Bolsonaro no que se refere ao atendimento de crianças com deficiência, em especial auditiva. “Com isso, podemos diminuir muito a surdez do Brasil. Quanto mais cedo se puder tratar e dar apoio às famílias, mais rapidamente veremos os resultados nas crianças”, destacou.

A primeira-dama do Ceará, Onélia Santana, considerou que a palestra de Dana trouxe os caminhos para desenvolver o cérebro das crianças. “Estamos levando condições para que as famílias possam compreender melhor a importância dessa afetividade, de olhar no olho da criança e o tamanho da importância da presença dos pais e cuidadores”, disse Onélia, que vê de perto o sucesso do Criança Feliz no Ceará, onde já houve mais de um milhão de visitas domiciliares.

Seminário Internacional da Primeira Infância
O Seminário Internacional da Primeira Infância – O Melhor Investimento para Desenvolver uma Nação é promovido pelo Ministério da Cidadania e acontece nestas terça (12) e quarta-feira (13), em Brasília. O evento reúne especialistas internacionais e brasileiros no tema primeira infância para avaliar as políticas públicas e provocar reflexões que qualifiquem e ampliem o atendimento a essa faixa etária no país.

Seminário Internacional da Primeira Infância– 12 e 13 /03/2019

Criança Feliz - O Ministério da Cidadania coordena o Criança Feliz por meio da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social. O programa integra ações nas áreas da saúde, assistência social, educação, justiça, cultura e direitos humanos. Nas visitas semanais, técnicos capacitados orientam sobre o desenvolvimento das crianças de até três anos beneficiárias do Bolsa Família e de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). As gestantes também recebem atendimento.

Até o momento, o programa está presente em 2.622 municípios brasileiros e já atendeu mais de 519 mil crianças e gestantes. No total, mais de 12,1 milhões de visitas domiciliares foram realizadas por cerca de 16 mil profissionais capacitados para orientar as famílias a impulsionar o desenvolvimento cognitivo, motor, socioafetivo e da linguagem das crianças.

Por André Luiz Gomes

Informações sobre os programas do Ministério da Cidadania:
0800 707 2003

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-1505 / 9.9229-6773
www.mds.gov.br/area-de-imprensa