Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Junho > Presidente sanciona crédito extra para pagamento do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC)

Notícias

Presidente sanciona crédito extra para pagamento do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC)

MAIS RECURSOS

Suplemento de R$ 248 bilhões aprovado pelo Congresso Nacional beneficiará os programas sociais, além do Plano Safra 2019/2020, anunciado nesta terça-feira
publicado  em 18/06/2019 18h35
Foto: Clarice Castro

Brasília - O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou nesta terça-feira (18) o pagamento do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) com recursos suplementares. O crédito extra de R$ 248,9 bilhões para o governo federal foi aprovado por unanimidade no Senado Federal e na Câmara dos Deputados na última semana.

Os recursos suplementares publicados no Diário Oficial da União também possibilitaram o lançamento do Plano Safra 2019/2020. A cerimônia foi realizada nesta terça-feira no Palácio do Planalto e contou com a presença do ministro da Cidadania, Osmar Terra. Para ele, o crédito extra sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro possibilita a continuidade dos programas sociais e o atendimento às famílias mais vulneráveis. “Estávamos preocupados com o risco de cortes nos programas sociais, mas o Congresso Nacional respondeu à altura e avançou nas propostas que o governo encaminhou”, avaliou.

Terra também projetou a possibilidade de mais investimentos nos programas sociais com o cruzamento de dados promovido pelo Ministério da Cidadania. “Estamos trabalhando para incrementar recursos ainda este ano com o pente-fino. Podemos utilizá-lo para aumentar o número de pessoas atendidas ou melhorar os benefícios para aqueles que realmente precisam.”

Saiba mais
Além de garantir o pagamento dos benefícios socioassistenciais e das aposentadorias, o crédito extra é fundamental para que o governo federal não descumpra a legislação que impede o governo de se endividar para pagar despesas correntes, como salários. A chamada regra de ouro só pode ser contornada por meio de créditos suplementares ou especiais, com finalidade específica e aprovados pelo Congresso por maioria absoluta. Sem essa autorização, o presidente da República pode cometer crime de responsabilidade. 

*Por André Luiz Gomes

Informações sobre os programas do Ministério da Cidadania:
Central de Relacionamento - 121

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa