Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Junho > Instituições que oferecem serviços para jovens em medidas socioeducativas recebem capacitação do governo federal

Notícias

Instituições que oferecem serviços para jovens em medidas socioeducativas recebem capacitação do governo federal

QUALIFICAÇÃO

Certificação de filantropia da assistência social, da saúde e da educação foi um dos temas debatidos na oficina
publicado  em 12/06/2019 20h06
Foto: Mauro Vieira

Brasília – Representantes de instituições privadas e da sociedade civil prestadores de serviços a jovens e adolescentes que cumprem medidas socioeducativas em meio fechado, semiliberdade ou internação no estado de São Paulo participaram de oficina promovida pelo Ministério da Cidadania nesta quarta-feira (12), em Brasília (DF). O objetivo foi debater e construir um plano de trabalho para o reconhecimento do trabalho que ainda não está entre os serviços tipificados no Sistema Único de Assistência Social (Suas). As entidades também receberam uma capacitação sobre a cobertura de ofertas de serviços feitos por instituições que recebem a Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social (Cebas). Representantes dos Ministérios da Saúde e da Educação também participaram da oficina.

A secretária nacional substituta de Assistência Social, Mariana Neris, ressaltou que este diálogo é inédito e que vai ajudar a construir uma solução em conjunto para a demanda desse tipo de instituição. "A atuação dessas entidades é de extrema relevância para o nosso país, mas ainda temos barreiras técnicas, jurídicas e políticas. A partir desta oficina, queremos avançar no reconhecimento da oferta de serviços na Assistência Social, Saúde e Educação", explicou. Neris lembrou que as medidas em meio aberto e em liberdade assistida já possuem serviços reconhecidos na Política Nacional de Assistência Social.

Hoje, a Fundação Casa atende mais de 8 mil adolescentes em conflitos com a lei em 143 centros de São Paulo. Para o diretor técnico Adilson Fernandes de Souza, a oficina é um espaço para buscar articulação da Assistência Social com o Sistema Nacional Atendimento Socioeducativo (Sinase). "É uma forma de encontrar alternativas para qualificar essa atenção aos jovens, além de ações que ajudem a reordenar o atendimento nos municípios e estados. A certificação nos apoiará na oferta de serviços em meio aberto e fechado, contribuindo para termos um sistema unificado de atendimento socioeducativo, com uma atenção integrada aos jovens", apontou.

O coordenador da comunidade Só Por Hoje, Organização da Sociedade Civil (OSC) que presta serviços para a Fundação Casa, Jessé Fernandes, avaliou que reunir entidades e gestores do governo federal é fundamental para aperfeiçoar a legislação. "Não é um tema simples. Quando o adolescente está internado, ele não recebe só atendimento em assistência social, mas também em educação e saúde. Entendemos que é o momento de avaliar o que podemos aprimorar para que o serviço continue sendo executado."

Cebas - O documento concedido pelo governo federal isenta as instituições de contribuição de impostos e garante a parceria em convênios com órgãos do poder público. Atualmente, mais de 5,2 mil entidades em todo o país que atuam exclusivamente na área de assistência social são certificadas pelo Ministério da Cidadania.

A concessão da Cebas tem validade de até três anos. No caso de requerimento de renovação, dependendo da receita bruta anual da entidade, varia de três a cinco anos. A legislação determina que, para solicitar a certificação, as entidades sem fins lucrativos devem realizar atividades regulamentadas pela Política Nacional de Assistência Social, estar inscritas no Conselho Municipal (CMAS) e funcionar há, pelo menos, 12 meses, entre outros requisitos.

*Por André Luiz Gomes

Informações sobre os programas do Ministério da Cidadania:
Central de Relacionamento - 121

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa