Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Julho > Cidadania promove capacitação de profissionais de Comunidades Terapêuticas

Notícias

Cidadania promove capacitação de profissionais de Comunidades Terapêuticas

QUALIFICAÇÃO

Estão abertas as inscrições para a Capacitação de Monitores e Profissionais das Comunidades Terapêuticas financiadas pelo governo federal
publicado  em 16/07/2019 18h09
Foto: Walterson de Freitas

Brasília/DF – Com o objetivo de desenvolver competências profissionais dos colaboradores que atuam dentro das Comunidades Terapêuticas, o Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (Senapred), está promovendo a Capacitação de Monitores e Profissionais das Comunidades Terapêuticas (Compacta), financiada pelo governo federal. O curso será ministrado a distância, via internet, entre 20 de agosto e 10 de dezembro. As inscrições estão abertas até 4 de agosto.

Segundo o secretário nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro, a ação está entre as medidas para o fortalecimento da Política Nacional Sobre Drogas. “É importante buscarmos ofertar um serviço de qualidade. Iniciamos, também, um processo de fiscalização in loco das Comunidades Terapêuticas. A ideia é que, com todas essas medidas, em conjunto, nós possamos fortalecer cada vez mais esse segmento, que é tão importante para o tratamento do dependente químico”, pontuou.

A capacitação será executada pela Secretaria de Educação a Distância (Sead) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e contará com a participação da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) na produção de conteúdos e acompanhamento do projeto. A estrutura do curso será composta por módulos de conteúdo que abordam bases teóricas, políticas públicas, prevenção e reinserção social, gestão e prestação de serviços no contexto das Comunidades Terapêuticas. Informações e inscrições em: http://compacta.sead.ufsc.br/

Comunidades Terapêuticas são instituições que prestam serviços de acolhimento - temporário e exclusivamente voluntário - a pessoas com transtornos decorrentes do uso, abuso ou dependência de substâncias psicoativas. As unidades contam com equipe multidisciplinar das áreas da medicina, psicologia e assistência social e trabalham pela recuperação de seus acolhidos, de modo a também prepará-los para voltarem ao convívio social. “A reinserção social é chave para a pessoa voltar a ter uma vida produtiva, de responsabilidade social e familiar. Ela é uma necessidade para que se complete o processo de reabilitação das pessoas que são dependentes químicas”, avaliou o ministro Osmar Terra.

Investimento – Em março, o ministro da Cidadania oficializou o aumento de vagas financiadas em Comunidades Terapêuticas. Ao todo, o custo do governo federal com o tratamento de dependentes químicos passa a ser de R$ 153,7 milhões por ano para 10.883 vagas em 496 entidades. Além da ampliação, Terra assinou três portarias para complementar as ações.

A primeira cria um cadastro das Comunidades Terapêuticas, com o objetivo de mapeá-las e garantir um tratamento padronizado e de qualidade; a segunda portaria trata do plano de fiscalização e monitoramento das entidades por servidores da Senapred, com objetivo de estabelecer critérios para acompanhar a execução dos serviços prestados; e a terceira portaria institui a certificação de qualidade dos cursos de capacitação para profissionais que atuam nas Comunidades Terapêuticas.