Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Fevereiro > Exército investe mais de R$ 9,6 milhões em compras da agricultura familiar no DF

Notícias

Exército investe mais de R$ 9,6 milhões em compras da agricultura familiar no DF

PAA

Chamada pública para produtores e cooperativas da região está aberta até o dia 8 de março
publicado  em 26/02/2019 19h32
Foto: Rafael Zart

Brasília - Produtores do Distrito Federal e região terão em março uma nova oportunidade para vender seus produtos a órgãos do governo. O Comando da 11ª Região Militar, em Brasília, abriu chamada pública para a compra de 54 itens da agricultura familiar. O investimento é de mais de R$ 9,6 milhões e o prazo para envio de propostas termina no dia 8 de março.

Quem está se preparando para participar do edital é o agricultor Jairison Silva, de Planaltina de Goiás (GO). Ele é presidente da Cooperativa ProRural, que representa mais de 200 pequenos produtores de frutas, legumes e hortaliças. Há dois anos, ele participa das chamadas públicas – tempo suficiente para falar dos benefícios da venda para o governo federal. “É um dos melhores negócios que existem para as cooperativas porque o processo é fácil e o pagamento é garantido”, ressalta.

A iniciativa é viabilizada pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Ministério da Cidadania, na Modalidade Compra Institucional. A coordenadora geral de Aquisição e Distribuição de Alimentos, Hetel Santos, destaca que entre os itens listados para compra estão produtos típicos do Cerrado como o pequi, a cagaita e a mangaba, reforçando o cardápio das Forças Armadas. “Os alimentos regionais representam um ganho para a alimentação saudável e mostram a diversidade, a qualidade e a riqueza das frutas do Cerrado, incentivando os agricultores familiares da região”, explica.

Os editais para compras institucionais estão disponíveis no site comprasagriculturafamiliar.gov.br.

Saiba Mais:
Na modalidade Compra Institucional, cada agricultor pode vender até o limite de R$ 20 mil, por ano, para cada órgão comprador. Já para as cooperativas ou associações, o teto é de R$ 6 milhões, por ano, por órgão comprador, respeitando o limite individual por agricultor. E a legislação determina que pelo menos 30% dos alimentos adquiridos para abastecer órgãos federais venham da agricultura familiar. 

*Por Diego Queijo

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa