Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Fevereiro > Bolsa Família ganhará força com ações de inclusão produtiva e desenvolvimento infantil

Notícias

Bolsa Família ganhará força com ações de inclusão produtiva e desenvolvimento infantil

APERFEIÇOAMENTO

Entre as metas para 2019, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, garantiu o pagamento da 13º parcela do programa
publicado  em 08/02/2019 12h32
Rafael Zart

Brasília – “O programa Bolsa Família continua e será ainda mais valorizado”. A declaração do ministro da Cidadania, Osmar Terra, reforça o compromisso feito pelo presidente Jair Bolsonaro em não só manter o programa de transferência de renda, que beneficia 13,7 milhões de famílias em todo o país, como ampliar suas ações e aperfeiçoar o combate às fraudes.

Entre as metas prioritárias do governo federal para este ano está o pagamento de uma 13º parcela do Bolsa Família.  “Além disso, estamos estudando ações voltadas aos jovens das famílias que estão no programa, como cursos de capacitação, por exemplo”, ressalta Terra. O ministro lembra que o programa vem aperfeiçoando sua gestão.

Ainda como parte do Ministério do Desenvolvimento Social, hoje Secretaria Especial que integra o Ministério da Cidadania, o Bolsa Família passou a fazer o cruzamento de dados de várias bases oficiais do governo, o que ajudou a identificar quem recebia indevidamente o benefício, excluindo-o do programa. “Com o pente-fino, conseguimos que o Bolsa Família chegue a quem realmente precisa”, diz. Há um ano e meio, todas as pessoas que se inscreveram no Cadastro Único e se encaixavam no perfil do Bolsa Família não aguardam mais em uma fila de espera. Antes, o tempo médio para começar a receber o benefício era de um ano – agora, não passa de 45 dias. 

Fila zerada - E foram os novos beneficiários que sentiram de imediato o aprimoramento da gestão do programa. A diarista Resangela Santos Silva é um exemplo. Ela mora com o marido e os dois filhos em Aracaju (SE) e é quem sustenta a casa. Para aumentar a renda da família, fez a inscrição no Cadastro Único em dezembro de 2018. Em janeiro, recebeu a primeira parcela. “Fiquei surpresa por ter sido tão rápido. Pensei que iria demorar e, em um mês, já estava com o dinheiro na mão e comprei o gás para poder cozinhar. Foi muito bom porque realmente estava precisando”, ressalta.

O Bolsa Família também incentiva que os beneficiários possam ter autonomia financeira. O Plano Progredir oferece qualificação profissional, microcrédito, apoio ao empreendedorismo e encaminhamento ao mercado de trabalho. Aos beneficiários que desejam abrir um negócio foram disponibilizados R$ 4,7 bilhões. Além disso, 545 instituições fazem parte da Rede de Parceiros – que oferecem oportunidades de trabalho e qualificação profissional – e já ofertaram mais de 14,3 mil vagas de empregos.  

Voltado para o cuidado e o desenvolvimento na primeira infância, o Criança Feliz chega a mais de 490 mil pessoas – entre gestantes e crianças de 0 a 3 anos – beneficiárias do Bolsa Família em 2,4 mil municípios em todas as regiões do Brasil. Semanalmente, visitadores vão até as casas das famílias e orientam sobre a melhor maneira de incentivar o desenvolvimento das crianças. O programa conta com ações intersetoriais nas áreas da saúde, assistência social cultura, educação e de garantia de direitos. 

De acordo com o ministro da Cidadania, ações voltadas para o incentivo da geração de emprego e renda e para o desenvolvimento humano oferecem aos beneficiários portas de saída dos programas sociais. “O Progredir permite que os jovens, principalmente das famílias mais pobres, possam ter acesso a um emprego e garantir a sua própria renda. O Criança Feliz é um programa que prepara, em longo prazo, a saída da pobreza dessa família, pois crianças bem estimuladas no início da vida terão um futuro melhor do que seus pais”, reforça.    

Saiba mais:
O programa de transferência de renda foi criado para contribuir com o combate à pobreza e à desigualdade social no Brasil. Atua em três eixos: complemento de renda, acesso a direitos - como educação, saúde e assistência social - e articulação com outras ações para garantir o desenvolvimento das famílias beneficiárias. Os interessados em entrar no programa devem se inscrever no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. O registro pode ser feito nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) ou na gestão municipal do Bolsa Família e do Cadastro Único.

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa