Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2019 > Abril > Corpo de Bombeiros do DF ajuda a inserir idosos e deficientes no Cadastro Único

Notícias

Corpo de Bombeiros do DF ajuda a inserir idosos e deficientes no Cadastro Único

BPC

Iniciativa tem o objetivo de reduzir a quantidade de pessoas que recebem o Benefício de Prestação Continuada e que ainda não foram registradas
publicado  em 24/04/2019 19h35
Foto: Clarice Castro

Brasília - Dona Genezy Assunção, de 56 anos, cuida da irmã Janete, que é deficiente e um ano mais velha. A família recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC) – é um salário-mínimo que faz muita diferença no orçamento da casa. “Se não fosse o recurso, poderíamos estar na rua. Então, pagamos as contas, a comida e os remédios”, relata Genezy. Nesta quarta-feira, ela e a irmã foram até o 8° Grupamento de Bombeiro Militar, em Ceilândia (DF), e prestaram as informações necessárias para a inclusão no Cadastro Único do Governo Federal.

Neste mês, o Ministério da Cidadania publicou uma portaria no Diário Oficial da União que determina novos prazos para o bloqueio e a suspensão do BPC de quem não tenha feito inscrição no Cadastro Único. O registro é obrigatório e quem ainda não o fez pode ter o benefício suspenso a partir de junho. Em todo o país, são mais de 1,1 milhão de beneficiários com inscrições pendentes – sendo mais de 22,5 mil somente no Distrito Federal. Para reduzir esse volume, o governo do DF está utilizando a estrutura de 19 quartéis do Corpo de Bombeiros Militar para inserir idosos e pessoas com deficiência que recebem o BPC no Cadastro Único.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Social do Distrito Federal, Eduardo Zaratz, a ação tem o objetivo de evitar a suspensão dos pagamentos de famílias em vulnerabilidade social. “A entrada dos bombeiros nessa atividade tem servido até de motivação para os nossos servidores e é fundamental para que esse déficit venha a ser suprido”, diz.

Cadastro – O coronel Emilson Ferreira dos Santos, comandante da força militar no DF, ressaltou a capilaridade do Corpo de Bombeiros como ferramenta essencial para o trabalho e destacou o papel social já desempenhado pela entidade em outras áreas. Para apoiar o cadastramento, cerca de 70 militares foram treinados. “Trabalharão os profissionais da área administrativa e aqueles com algum tipo de baixa médica temporária, não atrapalhando os chamados da rua.”

Segundo o diretor do Departamento de Benefícios Assistenciais do Ministério da Cidadania, André Veras, é de extrema importância que as gestões municipais, estaduais e do Distrito Federal encontrem possibilidades para a inclusão dos beneficiários do BPC. “Com isso, nós temos a expectativa de que esses beneficiários, sobretudo os que aniversariam no primeiro trimestre, sejam cadastrados em tempo hábil. É mais um mecanismo, uma possibilidade para que o beneficiário vá até a gestão, faça a inscrição e não tenha nenhuma repercussão no seu benefício”, avalia.

Saiba Mais
Para se inscrever, os beneficiários do BPC devem procurar os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) ou a Secretaria de Assistência Social do município com documentos como CPF, identidade e comprovante de residência. A inscrição também pode ser feita pelo responsável familiar, contanto que leve os documentos de todas as pessoas que moram com o beneficiário. Atualmente, cerca de 4,6 milhões de beneficiários, entre idosos e pessoas com deficiência, recebem um salário mínimo por mês do governo federal.

*Por André Luiz Gomes

Informações sobre os programas do Ministério da Cidadania:
0800 707 2003

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa