Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2018 > Setembro > Abrigo do município gaúcho de Canoas recebe venezuelanos

Notícias

Abrigo do município gaúcho de Canoas recebe venezuelanos

INTERIORIZAÇÃO

Nesta sexta-feira (14), o ministro do Desenvolvimento Social vistoriou instalações e apresentou a iniciativa para outros prefeitos interessados em acolher imigrantes
publicado  em 14/09/2018 18h27

Canoas (RS) - O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, visitou nesta sexta-feira (14) abrigos para venezuelanos no município de Canoas (RS). O encontro também serviu para incentivar a adesão de outras prefeituras gaúchas – como Chapada, Cachoeirinha e Santo Antônio da Patrulha – ao processo de acolhida aos estrangeiros.

Durante a visita, o ministro conversou com imigrantes e deu mais informações sobre a ação realizada no Estado, que já recebeu 592 pessoas. “O Brasil está dando uma demonstração de civilidade, acolhimento e solidariedade. Quase 1,9 mil pessoas já foram para o interior do país, melhorando não só a vida delas, como também a situação no Estado de Roraima”, destacou.

Até o momento, só o município de Canoas já recebeu 288 imigrantes do país vizinho. O prefeito, Luiz Carlos Busato, comentou sobre o processo. “Estamos com toda a atenção voltada para a adaptação deles nestes primeiros dias, mas, em pouco tempo, tudo estará normalizado. Há pessoas que há seis meses não tinham cama para dormir. Então, entendemos que a questão é muito importante e, nosso gesto, humanitário”, enfatizou.

Vida nova - Raúl Herrera é um dos 201 novos moradores que estão distribuídos em 65 quartos do Residencial Veneto e Veneza. O venezuelano veio com a esposa e o filho para o Brasil e se emocionou ao falar sobre a mudança. “Fomos do inferno ao céu. Vivíamos em uma barraca e estamos muito bem aqui. Precisamos agora é de trabalho para termos nosso dinheiro e começarmos uma nova vida."

Entre os prefeitos que também acompanharam a vistoria, Carlos Catto, de Chapada, viu de perto os detalhes do funcionamento do abrigo. A cidade deve receber imigrantes no próximo dia 25. “Queremos nos integrar a esta ação humanitária em que o Brasil está dando exemplo”, disse.

Todos os venezuelanos que aceitaram participar da interiorização foram vacinados, submetidos à exame de saúde e regularizados no Brasil – inclusive com CPF e carteira de trabalho. A interiorização foi criada para ajudar os imigrantes em situação de extrema vulnerabilidade a encontrar melhores condições de vida no Brasil.

Recursos - Portaria publicada no dia 3 de setembro autorizou o repasse de recursos do MDS às prefeituras de Esteio e Canoas a fim de estruturar a rede socioassistencial dos municípios para a acolhida dos venezuelanos. O incremento foi de R$ 1 milhão para Canoas e R$ 534 mil para Esteio, com validade de seis meses.

A interiorização conta com apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Agência da ONU para as Migrações (OIM), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

*Por Diego Queijo