Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2018 > Novembro > Brasil e FAO assinam projeto para dividir experiências de segurança alimentar

Notícias

Brasil e FAO assinam projeto para dividir experiências de segurança alimentar

PARCERIA

Acordo terá vigência até 2021 e prevê o fortalecimento da governança e de políticas públicas para 10 países da América Latina e o Caribe
publicado  em 28/11/2018 18h51
FAO/Alessandra Benedetti

Brasília – O governo federal e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), fecharam, nesta quarta-feira (28), em Roma, na Itália, acordo para compartilhar experiências em segurança alimentar e nutricional, em especial no campo da alimentação escolar.

O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, o diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), Embaixador Ruy Pereira, e o diretor-geral da FAO, José Graziano, assinaram projeto que terá vigência até 2021, com previsão de ajustes pelo novo governo. A parceria prevê o fortalecimento da governança e de políticas públicas para 10 países da América Latina e o Caribe.

Segundo Alberto Beltrame, a experiência brasileira deve motivar outros países a progredirem na área de segurança alimentar. “Os avanços que conseguimos dentro da Agenda 2030 e da Década da Nutrição foram significativos. Poucos países tiveram esse alcance em um período tão curto. Podemos citar a experiência do controle do sódio e da rotulagem de alimentos, além da redução do consumo de produtos industrializados”, elencou.

O ministro destacou ainda o Projeto Cisterna como uma experiência de sucesso para a segurança alimentar das populações que sofrem com a falta d´água. “Nós temos exemplos importantes a dar. Recentemente fechamos convênios financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e estamos instalando cisternas na Amazônia. Também realizamos uma parceria para a construção de modelos inovadores de cisternas, voltados à produção de alimentos”, afirmou.

Beltrame alertou também sobre a importância de combater a obesidade e o sobrepeso em todo o mundo. De acordo com ele, a construção de ambientes favoráveis para uma alimentação saudável, em especial nas escolas, deve ser amplamente debatida. “Um dos temas mais importantes para essa cooperação é o Programa de Alimentação Escolar (Pnae). Neste ano, direcionamos um orçamento de R$ 4 bilhões para o projeto e atingimos mais de 41 milhões de alunos”, enfatizou.

Saiba mais
O projeto "Fortalecimento da governança e políticas públicas para sistemas alimentares sustentáveis e adequados em dez países da América Latina e o Caribe", assinado pelo Brasil e pela FAO, visa contribuir com o estabelecimento de instâncias interinstitucionais para a governança de iniciativas de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN); apoiar o desenho e a implementação de políticas públicas socioeconômicas inovadoras, que promovam o acesso físico e econômico e o consumo de alimentos saudáveis pela população em situação de vulnerabilidade; e fomentar estratégias de abastecimento alimentar em zonas com problemas de acesso a alimentos saudáveis.

Veja também:
Brasil reforça apoio a países no combate à fome e subnutrição

Informações sobre os programas do MDS:
0800 707 2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1505 / 9.9229-6773
www.mds.gov.br/area-de-imprensa