Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2018 > Maio > Criança Feliz chega aos lugares mais distantes do país

Notícias

Criança Feliz chega aos lugares mais distantes do país

Inclusão

Em Careiro da Várzea, no Amazonas, visitadoras do programa enfrentam dificuldades para acompanhar as famílias
publicado  em 30/05/2018 15h35
Foto: Rafael Zart/MDS Visitadora do Criança Feliz acompanha criança no Amazonas.

Visitadora do Criança Feliz acompanha criança no Amazonas.

Brasília – Roseane Amorim, de 26 anos, mora numa casinha humilde, construída em cima de palafitas na comunidade de São Francisco, em Careiro da Vázea, região metropolitana de Manaus (AM). O barco é o único meio de transporte que dá acesso à cidade. Quando o rio Amazonas não está cheio, é preciso andar por um caminho de madeiras finas que não ultrapassam 20 centímetros de espessura para chegar à casa de Roseane. 

Nenhuma dessas dificuldades impede que o atendimento do Criança Feliz chegue até o pequeno Hector, de dois anos, filho de Roseane. Ele vem sendo acompanhado há quase um ano e já é possível ver as mudanças nas interações entre ele e a mãe. Agora, mesmo em simples brincadeiras, Roseane tem consciência de que está colaborando para o desenvolvimento integral de Héctor. 

“O Criança Feliz é importante para mim. A Rosa, visitadora, orientou-me em muitas coisas que eu não sabia. O Héctor evoluiu, ficou mais brincalhão e aprendeu a falar mais coisas”, conta, com orgulho. A dona de casa espera que o filho tenha um futuro melhor e acredita que o apoio do Criança Feliz é fundamental para essa mudança. “Eu quero que ele seja uma pessoa melhor, com uma vida melhor do que a minha, tenha as coisinhas dele, que estude e consiga um bom emprego”. 

A família de Roseane, composta pelo marido e os três filhos, é beneficiária do Bolsa Família. Os R$ 412 complementam a renda da família, que vive de bico. “Uso o dinheiro para comprar comida para as crianças. É uma segurança que eu tenho”, relata. 

Héctor é uma das 34 crianças que a visitadora Roseney de Souza Nogueira, de 37 anos, acompanha em Careiro da Várzea – a maioria delas vive em situações bem parecidas. Ao todo, 100 famílias participam do Criança Feliz no município. 

Roseney conta que não é fácil fazer as visitas. Existem lugares que estão a cinco horas de barco do centro da cidade. Em outros, as casas encontram-se em condições precárias e as crianças estão em situação de vulnerabilidade social. Mas, presenciar a felicidade das crianças é um grande aprendizado. “Quando chego à casa daquela família tão necessitada, sou recebida com sorrisos e o pouco que eles têm para oferecer querem dividir comigo. Acabei virando uma amiga, mãe e psicóloga. As pessoas querem ser ouvidas e aconselhadas”, comenta a visitadora, com alegria. 

Criança Feliz chega aos lugares mais distantes do país (30/05/2018)

Integração - Psicóloga do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) em Careiro da Várzea há dois anos, Cristiane Barbosa Ferreira também é a supervisora do Criança Feliz na cidade. Ela explica que o programa integrou áreas de saúde e educação, principalmente, à assistência social. Muitas famílias não sabiam como verificar as vacinas das crianças, outras tinham problemas com a escola dos filhos. Duas dificuldades que influenciam diretamente nas condicionalidades do Bolsa Família. 

“Todo o apoio vem da assistência social, por meio do programa Criança Feliz, que faz essa intervenção a fim de que possamos buscar soluções para essas famílias e dar condições para inserí-las no programa e fazer com que a família consiga caminhar sozinha”, avalia Cristiane. 

A partir de ações intersetoriais, os beneficiários do Criança Feliz contam com atendimentos nas áreas da saúde, assistência social, cultura, educação e de garantia de direitos. Para o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, o programa é uma forma de promover a emancipação. “Eu tenho convicção de que nós temos visitadores entusiasmados, que acreditam no programa. Com certeza, esses visitadores estão mudando o curso da história de cada uma dessas crianças, possibilitando um futuro melhor para cada um deles.” 

Reconhecimento – O programa Criança Feliz está crescendo gradativamente, com projeção internacionalmente. Neste mês, o Brasil recebeu a visita do canal de notícias digital Quartz, cuja sede fica em Nova Iorque, nos Estados Unidos. 

A jornalista Jenny Anderson conta que veio ao Brasil para conhecer mais sobre o programa Criança Feliz e a importância do desenvolvimento infantil.  “O Criança Feliz é um dos programas mais ambiciosos do mundo. Senti que era uma boa ideia vir aqui e conversar com as pessoas por trás desse esforço. O Brasil é um país gigantesco, muito diverso e o programa parece ser uma iniciativa que presta um grande serviço às mães, para que possam entender o quão importante são esses primeiros dias.” 

Saiba mais 
O Criança Feliz ampliou a rede de atenção e cuidado integral para a primeira infância. O programa vem mostrando que pequenos cuidados ajudam a reduzir desigualdades sociais e geram muito mais oportunidades no futuro. Semanalmente, visitadores levam às famílias orientações sobre a melhor maneira de estimular o desenvolvimento das crianças.

Ao todo, 2.685 municípios aderiram ao programa e em 2.071 deles as visitas domiciliares já começaram. A ações são voltadas às gestantes e crianças beneficiárias do programa Bolsa Família de até 3 anos, e àquelas de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). São 287.516 pessoas, entre crianças e gestantes, acompanhadas semanalmente.
 

*Por Pamela Santos 

Informações sobre os programas do MDS:

0800 707 2003 

Informações para a imprensa:

Ascom/MDS

(61) 2030-1505 / 9.9229-6773

www.mds.gov.br/area-de-imprensa