Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2017 > Setembro > Centro-Dia: municípios garantem atenção às crianças com microcefalia

Notícias

Centro-Dia: municípios garantem atenção às crianças com microcefalia

DESENVOLVIMENTO INFANTIL

Unidades serão instituídas nos municípios com maior incidência do vírus e que aderiram ao cofinanciamento federal; atendimento terá ações integradas de saúde e educação
publicado  em 26/09/2017 19h18
Foto: Clarice Castro/MDS

Brasília – Garantir atenção às famílias e às crianças de até 6 anos com microcefalia e doenças associadas. Este é o objetivo do governo federal ao implementar os Centros-Dia com atendimento especializado principalmente à população mais vulnerável. Para traçar metas de funcionamento das unidades, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) realizou, nesta terça-feira (26), a Oficina Centro-Dia para Crianças com Microcefalia e Deficiências Associadas. O evento reuniu representantes dos Ministérios da Educação, Saúde e Direitos Humanos, além de conselheiros e gestores de assistência social dos municípios que assinaram o termo de aceite para a implementação do serviço.

Os Centros-Dia serão espaços públicos especializados no atendimento integral às crianças com microcefalia e doenças associadas, bem como de suas famílias. A ideia é integrar o serviço da assistência social com saúde e educação, possibilitando às mães trabalharem enquanto os filhos são atendidos por especialistas. As unidades serão instituídas nos municípios com maior incidência do Zika vírus e que aderiram ao cofinanciamento federal. São eles: Teresina (PI), São Luiz (MA), Cuiabá (MT), Campo Grande (MS), Campina Grande (PB), Salvador (BA), Ribeirão Preto (SP), Arapiraca (AL) e João Pessoa (PB), além do Estado do Rio Grande do Norte.

A iniciativa de criar essas unidades partiu do ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra. “Os Centros-Dia vão acolher e estimular as famílias de maneira que a mães possam retomar suas vidas profissionais enquanto a criança fica em um local seguro, sendo cuidada adequadamente por profissionais especializados. Além disso, logo após o surto, providenciamos com rapidez que essas famílias recebessem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) para auxiliar no tratamento dessas crianças”, afirmou. O ministro observou ainda que, entre janeiro de 2016 e agosto de 2017, 2.515 famílias passaram a receber o BPC.

Com 219 casos confirmados, Salvador (BA) passou a trabalhar de forma articulada com a assistência social, saúde e educação para realizar o atendimento às famílias. Para a subsecretaria de Assistência Social da capital baiana, Lilian Almeida, a implementação dos Centros-Dia trará uma série de benefícios para as crianças atendidas. “No início, existiam muitas dúvidas sobre como tratar a questão, principalmente pelos profissionais que vão lidar com as crianças. Mas agora estamos recebendo essa capacitação com a convicção de que elas terão os cuidados adequados e serão estimuladas ainda na infância, reduzindo as sequelas da microcefalia”, destacou.

O MDS já repassou R$ 2,4 milhões aos nove municípios que contarão com os Centros-Dia para as crianças com microcefalia. O dinheiro será usado nas despesas iniciais da implementação do serviço. As unidades vão funcionar, pelo menos, cinco dias por semana. A expectativa é que mais de 150 usuários, entre crianças com deficiência e suas famílias, sejam atendidas diariamente.

Centro-Dia – É uma unidade de oferta do serviço de proteção social especial para pessoas com deficiência. A prioridade de atendimento das unidades é para crianças de 0 a 6 anos com microcefalia e deficiências associadas e suas famílias. O Centro-Dia vai ofertar um conjunto de atividades de cuidados básicos, realizadas por profissionais especializados, para garantir proteção às famílias.

Informações sobre os programas do MDS:
0800 707 2003 

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa