Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2017 > Outubro > Osmar Terra e comitiva chinesa acompanham atendimento do Criança Feliz em aldeia

Notícias

Osmar Terra e comitiva chinesa acompanham atendimento do Criança Feliz em aldeia

PRIMEIRA INFÂNCIA

Lançado oficialmente durante visita em Tocantínia (TO), o programa fortalece ações voltadas aos povos e comunidades tradicionais
publicado  em 17/10/2017 13h52
Foto: Mauro Vieira/MDS

Tocantínia (TO) - O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, lançou nesta segunda-feira (16) o Criança Feliz em área indígena Xerente, no Tocantins. O evento ocorreu na aldeia Brejo Comprido, localizada no interior do município de Tocantínia. O ministro, a diretora da Atenção à Primeira Infância do ministério, Ely Harasawa, e uma comitiva formada por pesquisadores do governo da China acompanharam as visitas domiciliares do programa na comunidade. A aldeia fica a cerca de 120 quilômetros da capital, Palmas.

 A visitadora Elisabete Silva acompanha 33 crianças espalhadas por três aldeias da região. O município já atende a 100 crianças, sendo metade em comunidades indígenas e a outra metade na área urbana de Tocantínia. É na língua indígena Akwé Xerente que Elisabete orienta as famílias sobre como incentivar o crescimento dos pequenos. “Nossas crianças precisam desse estímulo porque ajuda no desenvolvimento. Muitas vezes a mãe não tem informação. Mas quando chega alguém para ajudar, o progresso é muito grande”, ressalta ela.

 De etnia Xerente, João Paulo Wairu vive na aldeia com a esposa e os seis filhos. O caçula, Oséias, de um ano e nove meses, recebe a visita do Criança Feliz há um mês. Tempo suficiente para fazer com que o pai do menino acredite que o programa irá trazer muitas mudanças para todas as comunidades indígenas atendidas. “A gente está participando faz pouco tempo e já estamos gostando. Não para nós, mas para nossos filhos crescerem e se desenvolverem mais. Quero que ele estude e entre na faculdade para ajudar o nosso povo”, enfatiza o pai.

 O município de Tocantínia soma 86 aldeias onde vivem 3.338 famílias indígenas. De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, o Criança Feliz também respeita a cultura destes povos, adaptando as melhores técnicas de estímulo aos costumes locais para promover o desenvolvimento social. “A ciência mostra que é nos primeiros mil dias que toda inteligência e competências do ser humano se organizam, conforme os estímulos que ele recebe. Uma criança bem estimulada certamente vai ter mais facilidade quando chegar na escola e para quebrar o ciclo da pobreza”, destaca Terra.

 O grupo de chineses foi convidado pelo governo brasileiro para conhecer e acompanhar os trabalhos do programa após a participação do ministro no encontro Diálogo China-Brasil sobre o Desenvolvimento da Primeira Infância realizado no início de setembro, em Pequim. Na ocasião, os países assinaram o acordo de colaboração entre o Ministério do Desenvolvimento Social e a Fundação de Pesquisa para o Desenvolvimento da China.

 Segundo Osmar Terra, o foco da parceria é a troca experiências sobre ações voltadas às crianças de famílias de baixa renda. “Nosso objetivo é estreitar os laços entre os dois países e fazer um intercâmbio de informações sobre a primeira infância. Nós buscamos conhecimento inclusive em áreas como complementação alimentar e protocolos para utilizar nas visitas. Eles estão construindo um laboratório na China e nós estamos mostrando como aplicar isso na prática”, disse.

 Integrante da comitiva, a consultora internacional do Criança Feliz e diretora do Centro Desenvolvimento da Criança na Fundação de Desenvolvimento e Pesquisa da China, Mary Young, destacou o funcionamento do programa brasileiro : “Nós estamos aprendendo com o que está sendo feito aqui [no Brasil]. Foi muito impressionante ver o Ministério do Desenvolvimento Social levar o programa a tantos municípios em tão pouco tempo. Essa atenção é importante porque o apoio que as mães dão, muda as crianças para o resto de suas vidas em saúde, aprendizagem e comportamento”, enfatizou.

 A comitiva chinesa foi integrada ainda pelo vice-presidente e secretário-geral da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa da China (CDRF), Lu Mai; o gerente de Operações e gerente-geral da CDRF, Gao Guoqing; e os gerentes de Programa da Fundação, Cao Yan, Wu Zhiping, Liang Bojiao; e a vice-gerente de Programa do Centro de Desenvolvimento Infantil da CDRF, Shi Lijia.

 Programas sociais – No domingo (15), Osmar Terra recebeu a delegação chinesa em seu gabinete para apresentar as ações, estratégias e programas desenvolvidos e coordenados pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).

 Terra também detalhou todo o processo de construção do programa Criança Feliz, desde a aprovação do Marco Legal da Primeira Infância, Lei 13.257/ 2016, até a implementação do programa com as capacitações dos visitadores, multiplicadores e supervisores, além das visitas domiciliares. O ministro lembrou que o Criança Feliz completou um ano neste mês de outubro e já alcançou 56 mil pessoas em todo o Brasil.

 Outro programa apresentado foi o Plano Progredir. A iniciativa reúne ações de incentivo ao empreendedorismo, qualificação profissional e acesso ao mercado de trabalho. Com foco nos beneficiários do Bolsa Família e demais inscritos no Cadastro Único, o Progredir oferece oportunidades para que as famílias mais pobres melhorem de vida por meio da geração de renda.

Criança Feliz - É o programa do Ministério do Desenvolvimento Social para a primeira infância, e integra ações nas áreas da saúde, assistência social, cultura, educação e garantia de direitos. Os beneficiários do Bolsa Família são acompanhados desde a gestação até os três anos. Para quem recebe o Benefício de Prestação Continuada, o BPC, o atendimento ocorre até os seis anos. Em todo o país, 2.615 municípios aderiram ao programa, e a visitação domiciliar já ocorre em 852 cidades. Até 2018, o governo federal pretende atender a cerca de quatro milhões de crianças. 

*Por Diego Queijo e Pamela Santos

 Informações sobre os programas do MDS:
0800 707 2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa