Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2017 > Março > Mulheres desempenham papel central em programas sociais do MDSA

Notícias

Mulheres desempenham papel central em programas sociais do MDSA

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Protagonismo feminino está presente em iniciativas como Bolsa Família, Programa Cisternas e Programa de Fomento às Atividades Rurais
publicado  em 08/03/2017 17h17
Foto: Ana Nascimento/MDSA

Brasília – Neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o governo federal celebra uma relação de parceria com as mulheres que é fundamental para o sucesso dos programas sociais. O protagonismo delas está presente em diversas iniciativas do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), como o Bolsa Família, Programa Cisternas e Programa de Fomento às Atividades Rurais.

 Das 13,6 milhões de famílias que estão no Bolsa Família, 91 % tem mulheres como as responsáveis por sacar e administrar o dinheiro.  Dar prioridade para elas na administração do benefício é um reconhecimento e um apoio para a autonomia feminina. O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, explica que essa escolha leva em conta que a mulher é, na maior parte das vezes, a grande responsável por cuidar da família.

 “Nas famílias mais pobres, é principalmente a mãe que cuida, que provê, que protege e que está ali, junto com a criança, nas horas em que ela mais necessita. É importante que ela receba o recurso porque ela vai saber aplicar bem. Se faz justiça com a responsabilidade que ela demonstra junto com a família. Então, se prestigia a mulher, mas também há uma base para fazer isso: é em respeito a tudo que ela faz. Ela vai muito além até das próprias possibilidades”, destaca.

 Jalva Freitas, moradora de Boa Vista (RR), é um exemplo disso. Ela e o marido fazem bolos e salgados para festas, mas com a crise quase não tem entrado dinheiro em casa. Os R$ 309 que recebem do Bolsa Família ajudam a custear as despesas. Com o apoio do programa, Jalva está em busca de novas oportunidades.

 “Estou procurando estudar, me formar, fazer cursos, para que eu tenha uma oportunidade melhor no mercado de trabalho. Como a gente é mãe, a gente conhece as necessidades dos filhos e da casa. No momento, está sendo muito importante receber o Bolsa Família pelo fato da gente estar desempregado. A gente está se alimentando com esses R$ 309”, conta.

 Na zona rural, as mulheres também se destacam. Elas são responsáveis por 70% dos benefícios do Programa de Fomento às Atividades Rurais. As agricultoras recebem assistência técnica e recursos para investir no incremento da produção. Já no Programa Cisternas, que leva água para beber e produzir no Semiárido, mais uma vez elas são maioria. Sete em cada dez famílias que recebem uma cisterna são chefiadas por mulheres.

 Primeira infância – Outro programa social que vai dar atenção especial às mulheres é o Criança Feliz. Em fase de implantação, a iniciativa vai acompanhar gestantes e crianças do Bolsa Família com até 3 anos de idade e as de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O foco do programa é o desenvolvimento infantil, mas as famílias, principalmente as mulheres, serão apoiadas e orientadas nos cuidados com a saúde e no fortalecimento de vínculos.

 O Criança Feliz terá como ponto central a visitação domiciliar. Técnicos capacitados irão até as casas das famílias para mostrar aos pais a maneira correta de estimular o desenvolvimento dos filhos nos primeiros mil dias de vida. É neste período que o cérebro se estrutura e que a maior parte das competências fundamentais para o ser humano se desenvolvem. Em todo o país, 2.529 municípios já aderiram programa, que irá atende cerca de 4 milhões de crianças até 2018.