Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2017 > Março > MDSA investe R$ 43 milhões para garantir água potável a comunidades extrativistas

Notícias

MDSA investe R$ 43 milhões para garantir água potável a comunidades extrativistas

ACESSO À ÁGUA

No total, 3,2 mil famílias na Amazônia serão beneficiadas com tecnologias sociais para captação, tratamento e uso da água da chuva
publicado  em 28/03/2017 17h53
Foto: Cláudio Santos/Ag. Pará

Belém – O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) investe R$ 43 milhões para garantir água potável e saneamento para as famílias extrativistas da Amazônia. Segundo o diretor de Fomento à Produção e à Estruturação Produtiva do MDSA, Francisco Mello, serão beneficiadas 3,2 mil famílias com tecnologias sociais para captação, tratamento e uso da água da chuva. Ele participou nesta terça-feira (28) do painel “Fomento a atividades produtivas e sustentabilidade na Amazônia” durante o Seminário Pan-Amazônico de Proteção Social, promovido em Belém (PA).

De acordo com o diretor, estão sendo instalados sistemas de abastecimento que incluem a captação e a distribuição de água da chuva, caixas d’água e construção de banheiros. Além disso, o projeto Sanear Amazônia, do Programa Cisternas, vai construir 100 sistemas em escolas da região. “As caixas ficam ao lado da residência, mas de forma elevada em relação ao solo para evitar contaminação no período de chuvas”, explicou, acrescentando que a implementação dessas tecnologias terá importante papel na proteção social das famílias. Na região, apenas 33% dos domicílios possuem rede pública de abastecimento de água potável.    

Experiências – Durante o painel, o coordenador nacional de Incentivos à Conservação do Equador, Zack Romo, destacou que, desde 2008, o país conta com uma política de mudanças climáticas expressa na Constituição. “Os programas criados em respeito a esta determinação legal, como o Socio Bosque, permitiram que 100 mil hectares de floresta fossem poupados da devastação e que 12 milhões de toneladas de monóxido de carbono (CO2) não fossem lançados na atmosfera”, disse Romo.  

Já Julián Torres, diretor de Transferências Monetárias de Prosperidade Social da Colômbia, enfatizou o respeito ao modo de produção local do programa da Rede de Segurança Alimentar (ReSA). Torres explicou que a produção dos agricultores familiares colombianos respeita o potencial econômico local, o meio ambiente e proporciona renda para as famílias beneficiárias.   

Ministro participa do Seminário Pan-Amazônico de Proteção Social - 27/03/2017

O Seminário Pan-Amazônico de Proteção Social é promovido pelo MDSA em parceria com Banco Mundial, Unesco, Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ), Iniciativa Brasileira de Aprendizagem por um Mundo sem Pobreza (WWP), Marinha do Brasil, Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda do Pará e prefeituras de Belém, Barcarena e Acará.

Informações sobre os programas do MDSA:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br 

Informações para a imprensa:
Ascom/MDSA
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa