Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2017 > Maio > Vencedores do Prêmio Rosani Cunha conhecem políticas sociais do Chile

Notícias

Vencedores do Prêmio Rosani Cunha conhecem políticas sociais do Chile

DESENVOLVIMENTO SOCIAL

Durante missão de cinco dias no país, grupo frequentou palestras e visitou locais de atendimento a famílias beneficiárias de programas chilenos
publicado  em 25/05/2017 14h57
Foto: Divulgação/MDSA

Brasília – Uma comitiva formada por cinco vencedores do Prêmio Rosani Cunha de Desenvolvimento Social mergulhou na realidade social do Chile entre os dias 15 e 19 de maio. O grupo frequentou palestras e fez visitas de campo na capital e arredores com o intuito de conhecer o funcionamento do cadastro das famílias que buscam acessar as políticas sociais daquele país. A programação também incluiu a apresentação detalhada das principais características dos programas do Sistema de Proteção Social chileno.  

A viagem é parte da premiação, organizada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), que destacou em sua última edição as ações mais inovadoras e bem-sucedidas na gestão do Cadastro Único. Os vencedores foram conhecidos em dezembro de 2016, durante cerimônia realizada em Brasília. O Cadastro Único serve como porta de entrada para mais de 20 programas sociais do governo federal, entre eles, o Bolsa Família.

Formado por representantes do Estado de Alagoas e das cidades de Porto Seguro (BA), Monte Carmelo (MG), Santarém e Muaná (PA), o grupo foi acompanhado por uma equipe técnica do governo brasileiro. Eles assistiram a palestras na capital, Santiago do Chile, e visitaram centros de atendimento na Região Metropolitana e na cidade de Pudahuel. Nos locais, foi possível verificar na prática como é feito o atendimento e o processo de cadastramento das famílias beneficiárias dos programas sociais chilenos.

Representante de Santarém (PA), a analista de sistemas Aline Jesus de Carli venceu o prêmio na categoria Estratégias de Qualificação e Fortalecimento do Cadastro Único.  Após descobrir que boa parte da população local não conseguia acessar serviços públicos em decorrência da distância, o município criou o Centro de Atendimento Social (CAS), espaço que unifica os principais serviços, como atendimento em Assistência Social, agência bancária, atendimento a usuários do cartão de transporte Passe-Livre, restaurante popular, entre outros.

Segundo ela, o destaque da gestão chilena é a tecnologia. Todas as famílias são monitoradas de perto e os sistemas de informação passam por revisões constantes. “Eles têm um plano de ação que define que, caso o sistema caia, é preciso fazê-lo voltar a operar em até cinco minutos”, relata. A paraense também citou a ênfase que a proteção social do país dá às famílias, às mulheres e à primeira infância. A exemplo do programa Criança Feliz, o país também desenvolve uma política pública voltada para crianças no início da vida, o programa Chile Crece Contigo.

Funcionário do Cadastro Único há 15 anos, na cidade de Monte Carmelo (MG), Daniel Dias venceu o prêmio na categoria Entrevistador de Destaque e também integrou a missão ao Chile. Diante da realidade do país, Dias assimilou práticas de gestão relacionadas à organização dos arquivos e a formas de atender os cidadãos que comparecem aos serviços de cadastramento. Uma prática dos entrevistadores chilenos que chamou sua atenção é a de fotografar a fachada da casa das famílias quando não houver ninguém no domicílio. A medida resguarda os profissionais de eventuais acusações de não-comparecimento à visita.

Para o entrevistador, o fortalecimento do intercâmbio entre os dois países pode trazer uma série de benefícios para o trabalho desenvolvido na área social. “O Brasil pode aprender muito com o Chile sobre como utilizar a tecnologia para a proteção das informações. O Chile ficou bastante interessado pela forma como registramos as informações no Cadastro Único e sobre a evolução do Bolsa Família. Também se interessou pela valorização do entrevistador e pelas práticas de gestão, como levar os vencedores para outros países, para conhecerem outras formas de política social”, salientou.

A experiência surpreendeu até mesmo quem já conhece as diretrizes da rede de proteção social brasileira e de países vizinhos. Coordenadora-geral de Gestão de Processos de Cadastramento e organizadora do Prêmio Rosani Cunha – Edição Cadastro Único, Ana Gabriela Sambiase acredita que a oportunidade de conhecer outras formas de gestão permite ao Brasil aprimorar sua própria maneira de conduzir a gestão do Cadastro Único e dos programas sociais. “A visita ao Chile foi muito enriquecedora para olharmos nossos limites e nossas possibilidades de evolução, sempre na perspectiva de ampliar direitos”, afirmou.

O MDSA pretende criar um observatório para sistematizar e disponibilizar as práticas vencedoras do Prêmio Rosani Cunha, para que outros municípios brasileiros possam implementá-las. Um resumo das iniciativas está disponível na página “Bolsa Família e Cadastro Único no Seu Município”.  

Prêmio – O Prêmio Rosani Cunha foi criado em 2009 para homenagear a ex-secretária Nacional de Renda de Cidadania. Responsável pela gestão de grandes programas do ministério, como o Bolsa Família, Rosani Cunha faleceu em 2008, em um acidente de carro.

Informações sobre os programas do MDSA:
0800 707 2003

 Informações para a imprensa:
Ascom/MDSA
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa