Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2017 > Janeiro > Criança Feliz: ministro participa do encerramento de oficina com comitês estaduais

Notícias

Criança Feliz: ministro participa do encerramento de oficina com comitês estaduais

Primeira infância

A próxima etapa do programa será a capacitação dos multiplicadores em todas as regiões do Brasil
publicado  em 25/01/2017 19h28
Foto: Mauro Vieira/MDSA

Brasília – O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, participou nesta quarta-feira (25) do encerramento da Oficina de Alinhamento Intersetorial dos Comitês Estaduais do Programa Criança Feliz, ao lado do senador José Medeiros e dos secretários do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). 

Durante o encontro, integrantes do Comitê Gestor dos 26 estados e do Distrito Federal, além de representantes das gestões estaduais, conheceram as diretrizes e estrutura metodológica do programa e discutiram a construção dos Comitês Gestores estaduais e municipais. 

Segundo o ministro, a oficina promoveu uma troca de informações enriquecedora para os envolvidos na implementação do Criança Feliz. “Saímos da discussão do governo federal para ir para os estados, fazendo um alinhamento de todas as políticas públicas. O programa é complexo, mas temos a facilidade da vontade política dos estados e municípios”, afirmou Osmar Terra. 

A próxima etapa do programa é a seleção dos multiplicadores. Os gestores estaduais farão a escolha desses profissionais, que serão responsáveis pelas capacitações nos municípios e pelo andamento do programa. “Vamos chegar a um total de oito multiplicadores no máximo, por estado. Eles terão uma tarefa de capacitar os supervisores e os visitadores”, explicou o ministro. 

Ações intersetoriais – Para a secretária nacional de Assistência Social do MDSA, Carminha Brant, um dos aspectos mais importantes do Criança Feliz é a intersetorialidade. “Tivemos um encontro com a participação de representantes da saúde, da educação, da justiça, da assistência social e da cultura. Isso é muito importante porque o programa é intersetorial. Ele só tem sentido se for desenvolvido com esse foco. Estamos avançando numa maior cobertura, que é a visita às famílias. Isso vai ter significado não só para as crianças, mas também para a melhoria do desenvolvimento da família.” 

A Secretaria Nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano, criada na nova estrutura do MDSA, sob a gestão de Halim Girade, será responsável pelo Programa Criança Feliz. Halim, que conduziu duas mesas para apresentar o programa, explicou que o encontro aprofundou o aprendizado e as discussões, que antes estavam apenas no âmbito federal. “O nosso maior desafio é como fazer a intersetorialidade e eu gostei muito do resultado das reflexões dessa oficina.” 

Na avaliação da diretora de gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas) no Piauí, Rosangela Maria Sobrinho Souza, a oficina conseguiu reunir muitas ideias para por em prática rapidamente o programa. Para ela, o encontro possibilitou a construção de uma proposta de atendimento para um público extremamente vulnerável e necessitado do atendimento que será dado pelo Criança Feliz. “Uma grande diretriz que discutimos foi o atendimento intersetorializado das crianças, para que elas sejam vistas na sua integralidade. O nosso estado está com o objetivo de fortalecer essa caminhada da melhor forma possível”. 

Avaliação – O monitoramento e a avaliação do Criança Feliz foram abordados em uma mesa de discussão com a participação do professor da Cátedra Instituto Ayrton Senna no Insper, Ricardo Paes de Barros, e do professor de epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), César Victora. 

De acordo com Victora, existem muitos programas bem-intencionados que não são adequadamente avaliados. “A ideia do programa Criança Feliz é transformar essa evidência, que vem de estudos como Pelotas, numa intervenção nacional, promovendo a interação entre pais e crianças de uma maneira mais produtiva, mais inteligente, mais criativa. Estamos confiantes que, com a avaliação rigorosa que será feita do Criança Feliz nos próximos três anos, conseguiremos dar uma resposta muito firme para a sociedade sobre se o programa está tendo os efeitos esperados.” 

O professor da UFPel reforçou a importância dos gestores entenderem a relevância do monitoramento e que eles serão peça determinante nessa etapa. “Nós queremos motivar os gestores a participar ativamente e entender o porquê estamos fazendo a avaliação. É importante contar com essa interação permanente com o gestor.” 

Também presente no painel, o economista Ricardo Paes de Barros explicou que é por meio da avaliação de impacto que é possível dizer se os programas estão funcionando e o que precisa ser melhorado. “Muito do que estamos aplicando aqui no Criança Feliz vem de avaliações feitas em outros países. Da mesma maneira, se temos uma avaliação desse programa, isso vai ter um enorme impacto sobre o desenho de programas parecidos.” 

Leia também:
Programa Criança Feliz reúne comitês estaduais para definir estratégias

Para Paes de Barros, uma avaliação de impacto bem elaborada, como está sendo planejado para o Criança Feliz, será um grande legado para as políticas sociais. “Se avaliarmos com cuidado esse programa, essa avaliação passará a ser um ativo mundial de conhecimento que vai poder influenciar a política de primeira infância no mundo inteiro”, reforçou. 

Visitas domiciliares - Na última terça-feira (25), a secretária nacional de Assistência Social, Carminha Brant, dividiu a apresentação sobre a composição das famílias no painel Diretrizes metodológicas da visita domiciliar no Programa Criança Feliz, com Walfrido Neto do Instituto Alfa e Beto. 

Nas salas simultâneas, também realizadas na terça-feira, o Instituto Alfa e Beto apresentou a metodologia Care Child Development (Cuidado do Desenvolvimento Infantil), que será utilizada pelos visitadores do Criança Feliz. 

A Oficina de Alinhamento Intersetorial dos Comitês Estaduais do Programa Criança Feliz foi promovida entre 23 e 25 de janeiro em Brasília. 


Atendimento do Programa Criança Feliz:
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h
Telefone: 0800 707 2003
E-mail:

Informação para a imprensa:
Ascom/MDSA
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa