Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2017 > Agosto > Ministro detalha ações sociais de enfrentamento à violência no Rio de Janeiro

Notícias

Ministro detalha ações sociais de enfrentamento à violência no Rio de Janeiro

PLANO DE SEGURANÇA

Entre as medidas voltadas a moradores de áreas críticas, Osmar Terra citou a oferta de escolarização, formação profissional, inclusão digital e incentivo ao empreendedorismo
publicado  em 03/08/2017 21h26
Foto: Mauro Vieira/MDS

Brasília – Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, anunciou nesta quinta-feira (3) as medidas de caráter social que compõem o Plano de Segurança do Rio de Janeiro.  O plano faz parte de uma estratégia nacional de redução da violência, que prioriza a capital fluminense e Região Metropolitana.

A expectativa é iniciar as ações, orçadas em R$ 200 milhões, em setembro. “Nossa proposta é focalizar em áreas críticas para reduzir o nível de violência e resgatar a cidadania das comunidades”, ressaltou o ministro. Antes da coletiva, Terra participou de reunião com o ministros Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência da República), Sérgio Sá Leitão (Cultura), Leonardo Picciani (Esporte) e Maurício Quintella (Transportes), além de representantes de entidades governamentais relacionadas a educação, saúde, esporte, turismo e cultura.

Responsável pela coordenação das ações de cunho social, Terra detalhou as medidas que serão adotadas para enfrentar a violência no Rio de Janeiro. Segundo ele, o primeiro passo é resgatar o funcionamento de estruturas de atendimento em saúde, educação e assistência social nas áreas críticas. Outra prioridade é dar oportunidade aos jovens que estão sob o comando do crime organizado e do tráfico de drogas. “Precisamos inspirá-los em outra direção, mostrar que outro mundo é possível, dar outras perspectivas de vida”, afirmou.

O objetivo é oferecer, no contraturno da escola, atividades esportivas, capacitação profissional, inclusão digital e incentivo ao empreendedorismo para adolescentes e jovens com idades entre 12 e 29 anos beneficiários do Programa Bolsa Família. O governo federal estima que 50 mil adolescentes e jovens se enquadrem nesses critérios. Nesses casos, o benefício pago às famílias dobraria de valor. Conforme Terra, a medida seria focalizada e temporária, adotada com o intuito de estancar a crise.

O ministro destacou ainda que a intenção é oferecer aos jovens capacitação em informática, mediante parcerias com empresas de tecnologia da informação. Além de promover a inclusão digital e capacitação profissional, a pasta negocia a destinação de 5% a 10% das vagas de emprego e estágio remunerado, disponíveis na rede hoteleira local, a este público. 

De acordo com a proposta, as atividades desportivas seriam realizadas em 27 unidades das Forças Armadas. A estratégia funcionaria como uma extensão do Programa Forças no Esporte, que atende mais de 20 mil crianças no país e é fruto de parceria entre os Ministérios da Defesa, Desenvolvimento Social e Esporte. As atividades seriam ministradas nas vilas olímpicas, no Parque Olímpico e em centros de treinamento de times de futebol. 

Durante a entrevista, o ministro também detalhou as ações voltadas a adolescentes em privação de liberdade. Segundo ele, há 1,2 mil jovens no sistema socioeducativo de internação do Rio de Janeiro. Para evitar que eles voltem a cometer crimes após o cumprimento da pena, a proposta prevê acompanhamento multidisciplinar para o jovem e a família, além de oportunidades de emprego.

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, será responsável pela organização de eventos relacionados a esporte, cultura e turismo. A ideia é lançar um calendário anual, batizado de Rio de Janeiro a Janeiro, com cerca de 150 eventos anuais. Com a medida, Leitão acredita ser possível aumentar em pelo menos 20% a frequência de turistas na cidade. Além de fomentar o setor de turismo, a intenção é estimular a recuperação fiscal do Estado, atraindo investidores e gerando emprego e renda aos cariocas.

Já o Ministério da Educação destinará R$ 20 milhões às escolas mais vulneráveis do Rio de Janeiro, e o da Saúde se prepara para reduzir a fila para cirurgias eletivas na capital fluminense.

Informações sobre os programas do MDS:
0800 707 2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa